Por que atualizações rápidas do Android não importam tanto quanto antes

Desde os dias do HTC G1, primeiro smartphone com Android, as atualizações do sistema são vistas como o Santo Graal de novas funcionalidades e melhorias de software. Mas talvez seja a hora para deixar de lado a obsessão com uma nova iteração 0.1 do robozinho. Nos últimos dois anos, após o Android 4.1 – com […]

Desde os dias do HTC G1, primeiro smartphone com Android, as atualizações do sistema são vistas como o Santo Graal de novas funcionalidades e melhorias de software. Mas talvez seja a hora para deixar de lado a obsessão com uma nova iteração 0.1 do robozinho.

Nos últimos dois anos, após o Android 4.1 – com Google Now e Project Butter – vimos atualizações pequenas saírem do Google, que manteve o sistema na versão 4.x. Há boas razões para isso, como discutiremos abaixo. Talvez valha a pena desejar muito uma futura versão Android 5.0, mas se preocupar com iterações menores é desnecessário para a maioria. Eis os motivos.

Novos recursos não dependem de atualizar o Android

Atualmente, as atualizações do Android funcionam um pouco diferente das iterações de outros sistemas operacionais. No Windows, OS X, iOS, distribuições do Linux ou qualquer outro, uma atualização traz novas funcionalidades centrais (e talvez até uma nova interface).

Isto vale um pouco para o Android, porém o Google vem cada vez mais usando o Play Services para implementar novas funcionalidades em todo o sistema. Além disso, a empresa traz novas funcionalidades atualizando apps individuais, ao invés de reuni-los numa outra versão do sistema.

Nos tempos antigos do Android, para receber novos recursos, quase sempre era preciso conseguir a versão mais recente do sistema operacional. No entanto, ao longo do último ano, vários apps e recursos foram adicionados ou melhorados sem uma atualização do Android. Eis uma lista não exaustiva:

Para comparação, eis algumas das funcionalidades que as novas versões do Android lançadas em 2013 (4.3 e 4.4) trouxeram para os usuários:

As funções acima podem ser importantes, mas não são algo que todos clamariam para ter. Mesmo assim, ainda haveria alguma razão para se desejar atualizações do Android o mais rápido possível – isto pode não ser relevante para todos os usuários, mas é para alguns. No entanto, existem desvantagens em receber atualizações tão rápido.

Atualizações do Android às vezes trazem grandes bugs

As novas versões do Android nem sempre chegam sem problemas. Para quem quer atualizações rápidas do sistema por até 18 meses, a recomendação é obter um dispositivo Nexus. No entanto, eis alguns dos bugs conhecidos que vieram com as novas versões do Android ou em um novo Nexus:

Isso sem mencionar os apps que, por algum tempo, ficam incompatíveis com novas versões do Android. O HBO Go, por exemplo, ficou dois meses sem funcionar na versão 4.3.

Vale notar que nem sempre todos são afetados por bugs em uma nova versão do Android (e alguns deles estão limitados a hardware Nexus). No entanto, receber atualizações o mais rápido possível significa que você provavelmente estará exposto a mais bugs do que o normal.

Para os early adopters, os entusiastas, isso é aceitável: para eles, bugs fazem parte do pacote. No entanto, para quem não está interessado ​​em ser beta tester – e especialmente para os usuários comuns – ser o primeiro da fila pode não ser tão bom assim.

Novos recursos do Android aparecem em versões anteriores do sistema

Há alguns novos recursos do Android que podem ser usados imediatamente. No entanto, muitos outros demoram um longo tempo até serem adotados por desenvolvedores: minhas notificações ainda não sincronizam através de dispositivos na maioria dos apps. Outras nem mesmo chegam à maioria do hardware devido à personalização das fabricantes.

Eis alguns dos novos recursos do Android que ou acabaram chegando às versões anteriores do OS, ou não interessariam muito para os early adopters:

Como você pode ver, a maioria dos recursos mais novos do Android ou não afeta o telefone moderno que você comprou para garantir atualizações rápidas, ou são coisas que você pode obter imediatamente de outra forma.

E, listadas no site oficial do Google, há várias coisas que já existiam para os usuários de versões anteriores, como o QuickOffice gratuito, o Android Device Manager e suporte ao Chromecast. Eis uma lista de alguns dos novos recursos do Android que são verdadeiramente úteis, realmente diferentes de versões mais antigas, e só disponíveis para quem tem a versão mais recente do Android:

Esta não é uma lista abrangente de tudo que foi adicionado ao Android na versão 4.4, mas demonstra um ponto: quando se trata de novos recursos, é meio improvável que surja algo realmente importante para você – a menos que suporte a Bluetooth MAP seja a coisa mais importante do mundo para você.

Atualizações ainda vão demorar uma eternidade (mas tudo bem)

Mesmo com tudo o que listamos acima, talvez você ainda queira a mais nova versão do Android agora mesmo. E ainda ficaremos incomodados por quase nunca estarmos na versão mais recente, pelo menos até o Google parar de lançar novas versões a cada seis meses.

No mês passado, a HTC mostrou como funciona o processo de atualizar o Android – clique aqui para ver o infográfico. Eis a versão resumida: é algo muito longo, muito complexo, e exige que várias empresas diferentes trabalhem em conjunto muito rapidamente. Dito de outra forma, é uma bagunça – mas você já sabia disso.

Embora o Google ofereça um Kit de Desenvolvimento de Plataforma (PDK) para os fabricantes antes de novos lançamentos, na esperança de acelerar o processo, isso não adianta muito. Quando a HTC ou a Samsung terminam seus próprios ajustes para uma atualização, eles passam tudo para as operadoras, que precisam realizar seus próprios testes. Quando tudo está pronto, o Google já se prepara – ou já lançou! – uma nova versão.

No entanto, à medida que mais e mais peças críticas do ecossistema do Google foram separadas do Android e levadas para o Play Services ou para a Play Store, diminui a importância de estar na versão mais recente do Android.

Se você quiser fazer parte desse grupo seleto que pode se gabar de sempre ter atualizações, você tem o Nexus ou as Google Play Editions disponíveis para você – ou, caso o Google interrompa as atualizações, há ROMs personalizadas. Não é o seu caso? Então fique de olho na Play Store: é lá que você vai encontrar apps novos e gratuitos para deixar seu smartphone ou tablet ainda mais incrível do que já é.

Sair da versão mobile