Dicas de séries da semana: Eletric Dreams, WandaVision, Altered Carbon e Counterpart (14/03/21)

De "Eletric Dreams" a "WandaVision": estas são algumas das séries dos principais serviços de streaming que você precisa conhecer.

Quem nunca ficou mais de 10 minutos procurando uma opção de filme ou série nos catálogos dos serviços de streaming que assina? É totalmente compreensivo, ainda mais quando você é uma pessoa que já possui um repertório variado de produções e busca algo novo e que vai te cativar desde seus primeiros minutos.

Pensando nisto, o Gizmodo Brasil vai te apresentar, a cada semana, uma pequena curadoria com dicas bem bacanas que você pode encontrar na Netflix, Prime Vídeo, Disney+ e Globoplay. Assim, você vai poder curtir obras interessantes sem gastar muito tempo de procura. Então, para inaugurar, selecionamos quatro séries que são incríveis e que vão te deixar no modo viciado desde o primeiro episódio:

Netflix

Altered Carbon (2 temporadas) (2018-2020) 

Baseada no primeiro livro de uma trilogia cyberpunk escrita pelo inglês Richard K. Morgan, a série é uma produção original do streaming e criada por Laeta Kalogridis, que também está no comando do live-action do anime Sword Art Online. A história traz reflexões bem interessantes sobre riqueza e poder, especialmente com os artifícios de um mundo distópico, o que lembra a atmosfera criada pelo autor de ficção científica Philip K. Dick. No caso de Carbono Alterado (título brasileiro), onde ricos são imortais e os pobres dispensáveis, a consciência humana pode ser digitalizada e armazenada e um corpo usurpado sem qualquer impedimento, um prisioneiro é ressuscitado em um novo hospedeiro e deve resolver um assassinato complicado para ganhar sua liberdade.

Junto da ótima atuação de Joel Kinnaman (Esquadrão Suicida) no papel principal, do bom elenco de apoio e a super produção que a fez ser indicada ao Emmy de Efeitos Visuais, é uma série que vicia desde seu primeiro episódio. A segunda temporada ainda consegue manter o entusiasmo, mesmo quando o protagonismo passa a ser de Anthony Mackie (Falcão e o Soldado Invernal). Infelizmente, ela foi cancelada antes da confirmação de sua terceira temporada, uma vez que existia um alto custo de produção que não parecia coincidir com a audiência, segundo informações do Deadline. É uma pena, já que existia um potencial para a história evoluir. Mas, de qualquer forma, vale a pena todo o investimento do seu tempo, já que é uma história que mistura distopia, mistério e ação, tudo de forma bem instigante. Ah, caso goste da série, ainda tem a animação chamada Altered Carbon: Reenfundados como um bônus.

Prime Vídeo

Electric Dreams (1 temporada) (2017) 

Como citei o Philip K. Dick ali em cima, não poderia deixar de indicar esta série antológica inspirada em algumas histórias escritas pelo autor durante a década de 1950. Ela tem 1 episódios independentes e demonstra que cada história foi adaptada de forma a inserir discussões que se tornaram mais amplamente difundidas, como questões de gênero e racial, o que se tornam diferenciais para a maior imersão nos acontecimentos das tramas.

Existem muitas comparações com a série Black Mirror e, de fato, a ideia geral de abordar elementos distópicos e/ou futurísticos, bem como alguns conceitos trazidos por ambas, como relação entre homem e máquina, são bem similares. Contudo, Electric Dreams já se destaca por vir de uma aclamação por parte de seu criador original, que possuía uma mente além de nossa compreensão e criou diversas obras que trouxeram uma riqueza de conteúdo para a literatura de ficção científica. Outro ponto forte fica por conta do elenco, com nomes importantes como Anna Paquin, Steve Buscemi, Bryan Cranston e Greg Kinner. Pelos episódios serem distintos, você pode apenas ler a sinopse e se lhe interessar, assistir apenas aqueles que mais te despertaram interesse. Mas, se eu fosse você, só por ser algo vindo de Philip K. Dick, já toparia acompanhar!

Disney+

WandaVision (1 temporada) (2021) 

Claro que a queridinha do momento não poderia ficar de fora. Seguindo o esquema de um episódio por semana, a série finalizou em seu nono episódio que foi ao ar na última sexta-feira (05), continuando o desenrolar dos acontecimentos dos filmes Vingadores: Guerra Infinita e Ultimato. Com referências a todo o Universo Cinematográfico da Marvel (MCU), as sitcoms americanas (como A Feiticeira, The Dick Van Dyke Show, Três é Demais e Modern Family) e aos quadrinhos (citando Visão de Tom King), WandaVision conseguiu manter o seu foco principal na protagonista, Wanda Maximoff, e ainda trabalhar outros personagens como o próprio Visão e Monica Rambeau, a “sobrinha” da Capitã Marvel.

Retratando os estágios do luto e se aprofundando na história de Maximoff, vamos entendendo como os poderes desta personagem a tornam a mais forte dentre todos aqueles que já conhecemos no universo da Marvel. São episódios curtos, mas que nos mantém entretidos, seja pela ótima produção ou pelo roteiro e as interpretações, que deixam o produto final ainda mais especial. Como toda produção da Marvel, somos servidos com easter eggs que já nos indicam o encaminhar dos futuros lançamentos. Então, se você gosta acompanhar todo este universo ou apenas curte filmes de super-heróis, esta é uma recomendação de ouro.

Globoplay

Counterpart – Mundo Paralelo (2 temporadas) (2017-2019)

Sabe aquelas séries que só por ter determinado ator/atriz já entra na sua lista? Pois Counterpart vai ser uma delas. Com o talentoso J.K Simmons no papel principal, a história nos apresenta ao modesto funcionário Howard Silk, responsável pela área burocrática de uma agência de espionagem da ONU com sede em Berlim. Quando ele descobre que sua organização protege o segredo de uma travessia para uma dimensão paralela, ele é levado a um mundo sombrio de intriga, perigo e traição. O único homem em quem ele pode confiar é Prime, a contraparte quase idêntica de Howard no mundo paralelo.

Esta é uma daquelas pérolas escondidas no catálogo do streaming. Com uma trama que segue elementos de um thriller de espionagem misturado com ficção científica, a série ainda traz um lado mais dramático, pois Silk precisa lidar com o sofrimento de ver sua esposa Emily (Olivia Williams) em estado de coma após um acidente. Lembrando vagamente A Origem de Christopher Nolan e a série alemã Dark, Counterpart já conquista pela atuação de Simmons, especialmente nesta situação de doppelganger, em que temos Silk e Prime, com suas histórias tão complexas em realidades diferentes. Inclusive, a série até traz uma situação de pandemia parecida com a que estamos enfrentando neste momento, com uma reflexão importante sobre ciclo do ódio. Uma produção muito bem feita e que vale cada minuto de sua atenção.

Sair da versão mobile