Google tenta resolver a bagunça nos comentários do YouTube

O YouTube reúne os piores comentários da internet. Por isso, o Google queria melhorar a situação, destacando os mais relevantes e inserindo filtros contra declarações preconceituosas, ignorantes e horríveis. Isso não deu muito certo. Agora, o Google quer resolver os problemas criados ao integrar os comentários do YouTube ao Google+. Serão três medidas. Vamos dar […]

O YouTube reúne os piores comentários da internet. Por isso, o Google queria melhorar a situação, destacando os mais relevantes e inserindo filtros contra declarações preconceituosas, ignorantes e horríveis. Isso não deu muito certo. Agora, o Google quer resolver os problemas criados ao integrar os comentários do YouTube ao Google+.

Serão três medidas. Vamos dar uma olhada em cada uma delas:

Melhor o reconhecimento de links maliciosos

Nos novos comentários do YouTube, os links são liberados. Obviamente, inúmeros usuários aproveitaram a oportunidade para postar spam, truques para ganhar dinheiro rápido ou para espalhar malware. Em vez de banir links, como era o caso do YouTube antigo, o Google promete apenas detectar melhor os links maliciosos.

O Google também promete reconhecer casos de falsidade ideológica. No Google+, você é obrigado a usar seu nome verdadeiro, para evitar comentários anônimos (em geral negativos e de baixa qualidade). No entanto, você ainda pode criar nomes falsos para comentar no YouTube, algo que o Google promete combater.

Alterar como comentários longos são exibidos

Outra mudança nos comentários do YouTube é que agora não há mais limite de caracteres. Por isso, quem é contra o novo sistema pode postar comentários quilométricos, que você abre ao clicar em “Leia mais”.

Agora, há um aviso nos comentários longos dizendo quantas linhas eles têm. Isso ajuda você a evitar posts vazios, geralmente apenas com termos se repetindo.

Melhor detecção de arte ASCII

Outra consequência de remover o limite de caracteres foi atrair uma onda de arte ASCII. Isso vai desde o tanque de guerra do “Bob’s Army” contra o Google+, até imagens de um pênis ereto. Sério! O Google promete detectar arte ASCII, mas não diz o que fará com ela. Ocultá-la? Removê-la?

Mas estes não são os únicos problemas. O novo sistema não quer saber dos comentários com mais “joinhas”: ele destaca, entre outros, os comentários com maior engajamento, o que inclui o número de respostas. No entanto, isso estimula opiniões polêmicas de trolls, brigas e ofensas, em vez dos comentários de “alta qualidade” que o Google esperava.

O Google diz: “também estamos trabalhando para melhorar o ranking dos comentários”, o que deve amenizar o problema. O YouTube já destaca os comentários do criador do vídeo, de pessoas ou páginas nos seus círculos do Google+, e também de “usuários populares” (como celebridades).

Para os criadores de vídeos, o Google também promete oferecer moderação em massa, para aprovar ou deletar vários comentários de uma só vez: “nós lançaremos ferramentas para isso em breve”.

Como era de se esperar, o novo sistema de comentários do YouTube recebeu diversas críticas. O vídeo que anunciou a mudança já acumula mais de 20.000 comentários, na maioria negativos. Uma petição para retornar ao sistema antigo reúne 216.000 assinaturas. E vídeos se opondo à mudança se tornaram bastante populares – como este, que ultrapassou um milhão de visualizações.

Mas não adianta: o Google está firme em sua decisão de exigir uma conta no Google+ para comentar no YouTube. O que você achou do novo sistema? [YouTube Creator Blog via Ars Techcnica e TechCrunch]

Sair da versão mobile