Quarenta e cinco anos atrás, o homem pisou na Lua pela primeira vez. Obviamente, ele estava um pouco nervoso. O coração de Neil Armstrong chegou a 160 batidas por minuto quando o veículo lunar tocou o solo da Lua. Mas quando ele deu o grande salto para a humanidade e caminhou sobre o satélite, seu coração se estabilizou e as batidas diminuíram. O ritmo do coração do astronauta, que a cantora Louise Gould conseguiu em um programa de rádio, se tornou a base desse cover de Oh my Love, de John Lennon.

MAIS: O que aconteceu com as bandeiras na Lua?

Gold sempre foi fascinada pelo espaço, então ela procurou por outros sons cósmicos para incorporar em seu trabalho. Na biblioteca, ela encontrou Symphony of the Planets, uma coleção de gravações sondas não tripuladas Voyager da NASA. Claro que não há som no vácuo do espaço, mas a Voyager 1 e a Voyager 2 conseguiram capturar a emissão eletromagnética dos planetas. Essas ondas eletromagnéticas foram transformadas em ondas sonoras, esse zumbidinho que você pode ouvir em loop na música.

Na canção original, Lennon está entre duas amantes, num espaço pequeno e íntimo. Nessa nova versão feita por Louise Gold, a intimidade se dá na vestidão do espaço sideral. Ouça a música:

[Imagem: Os batimentos cardíacos dos astronautas da Apollo 11 – NASA]