Inúmeros rumores apontavam o lançamento do Google Drive em abril, e eles estavam certos: o Google acaba de revelar o seu novo serviço na nuvem. Ou quase: na verdade, o próprio Google vazou o serviço antes da hora.

Hoje, o espaço disponível no Docs aumentou de 1GB para 5GB. Este é o espaço total gratuito do Google Drive. Os detalhes para expandir o espaço ainda não estão claros: quem usa Google Apps pode comprar 20GB por US$4 mensais. O espaço total chega a 16TB. Para consumidores, não foram revelados planos – o Drive parece ser bem voltado para empresas.

Atualização: O Drive já está no ar. Basta acessar drive.google.com e se cadastrar.

O novo Drive tem diversos truques na manga: ele abre no navegador “mais de 30 tipos de documentos”, como Adobe Illustrator, Adobe Photoshop e vídeo HD – mesmo que você não tenha o programa no computador. Ele também escaneia imagens, com tecnologia OCR, para você procurar texto dentro de imagens. E ele tem reconhecimento de imagens: se você enviar uma foto da Torre Eiffel e procurar “eiffel” no Drive, ele mostra a imagem – mesmo que o arquivo não tenha esta palavra.

A evolução do Google Docs

O Google Drive, como esperado, é “o próximo passo na evolução do Google Docs”, como diz a empresa. Mas vai além de um Docs turbinado: a ideia é transformá-lo em uma plataforma aberta, “permitindo enviar faxes, editar vídeos e criar modelos diretamente no Drive”.

O Drive se integra ao Gmail, basicamente eliminando os anexos: em vez de enviar o arquivo por e-mail, você envia o arquivo ao Google Drive e o link segue por e-mail. Isto permite enviar arquivos maiores, e é o mesmo que a Microsoft faz com o Skydrive no Hotmail.

O serviço fornece sincronia de arquivos entre Windows, OS X e Android – basta baixar o aplicativo, que deve estar disponível ainda hoje. O app para iOS estará disponível “nas próximas semanas”. Esta é uma estratégia bastante semelhante ao Dropbox e também ao Skydrive.

Saiba mais neste link sobre o Google Drive, e clique aqui para a comparação entre o Drive e outros serviços, como Box, Dropbox e Skydrive. [TechCrunch via Engadget]