Há cerca de um mês, o Office para iPhone estreou sem muito alarde, com a promessa de uma versão para Android em breve. Ela chegou hoje, mas com as mesmas ressalvas da versão para iOS.

O app gratuito permite usar o Word, Excel e PowerPoint para criar e editar documentos. No entanto, para usá-lo, você precisa de uma assinatura do Office 365: o app requer seu login até mesmo para visualizar arquivos. Dessa forma, o Windows Phone não perde um de seus diferenciais – ele permite usar o pacote Office sem qualquer pagamento adicional.

O Office 365 custa a partir de R$ 179 por ano ou R$ 18 por mês. Ele fornece cinco licenças para instalar em PCs ou Macs, espaço extra no SkyDrive, minutos no Skype e acesso aos apps para iPhone e Android. Se você é dono de um pacote Office 2013 tradicional, sem assinatura, não poderá usar o app.

E mesmo que você se torne assinante, você não poderá usar o Office Mobile em tablets Android, e nem mesmo no iPad: a Microsoft já deixou bem claro que não fará uma versão para tablets, e recomenda usar o Office Web Apps no navegador. Por que isso? Acredita-se que a Microsoft não quer tirar funções que, por enquanto, são exclusivas de tablets com Windows 8/RT.

O Office Mobile para Android é basicamente o mesmo do iPhone. A interface foi adaptada para a tela menor do smartphone, e o app abre documentos sem perder a formatação, acessando arquivos no SkyDrive, SharePoint ou qualquer outro lugar. Ele permite criar arquivos do Word e Excel (nada de fazer apresentações PowerPoint do zero) – mas no geral isso é um processo complicado.

Além disso, é possível editar qualquer documento do Office. Mas, como notamos em nosso hands-on da versão para iOS, isso nem sempre funciona bem. No Word, não é possível formatar parágrafos nem mudar a fonte. No PowerPoint, não dá para ajustar o tamanho de caixas de texto, fontes nem o layout dos slides. O que funciona melhor, bizarramente, é o Excel: ele permite inserir qualquer fórmula e até criar gráficos.

Por enquanto, o Office Mobile só está disponível nos EUA, mas chegará a outros 117 países nos próximos dias. O app requer Android 4.0 ou superior. [Google Play via The Verge]


Compras realizadas nos links acima poderão fazer com que ganhemos uma porcentagem da operação.