Você acha que conhece o Batman? Os mistérios do Morcegão são muito mais profundos do que você imagina. Ao longo de 60 anos, em vários meios, o Batman tomou algumas direções incrivelmente estranhas. Aqui estão 10 bat-fatos que você não conhecia.

1) O Batman se encontrou com Hitler uma vez



Batman e Hitler.

Ao menos durante a II Guerra Mundial. Enquanto outros super heróis estavam ocupados socando Hitler todo santo dia, o Batman male má enfrentou os nazistas. Em uma revista, sabotadores nazistas foram a Gotham City e o Batman os derrubou. Mas o único confronto dele com Hitler em pessoa aconteceu na capa da World’s Finest #9 — onde Batman e seus amigos jogam bolas de tênis no Führer. Fonte: Batman Unmasked: Analyzing A Cultural Icon by Will Brooker.

2) A ideia original era que Robin aparecesse apenas em uma edição e, depois, provavelmente sumisse para sempre

Robin.

Originalmente, Bob Kane (criador do Batman) queria testar Robin em uma ediçaõ, mas o Bat-editor Jack Liebowitz era contra a ideia de ter uma criança lutando contra gangsters, porque “o Batman estava indo bem sozinho.” Mas depois que a Detective #38 chegou às bancas com o Robin nela, a revista vendeu o dobro do que vendia com o Batman em performance solo. Assim, Liebowitz concordou em manter Robin nas futuras edições. Fonte: Batman Unmasked: Analyzing a Cultural Icon by Will Brooker.

3) Alguns dos maiores vilões do Batman eram mais animalescos originalmente

Mulher-Gato, você não está sexy.

A Mulher-Gato no começo usava uma máscara felina que cobria seu rosto por inteiro. E o Pinguim foi, na realidade, baseado no desenho de um pinguim que era o “animal-propaganda” dos cigarros de menta Kool dos anúncios impressos e que também aparecia no rádio gritando “Fume Koooools!” “Fume Koooools!” A versão original do Pinguim era bem mais cartunesca e hiperativa. Fatos aleatórios não relacionados: Bob Kane e Bill Finger costumavam se sentar no Poe Park, em frente à casa de campo de Edgar Allan Poe onde hoje fica o Bronx, para discutir ideias para as histórias do Batman. Fonte: Batman: The Complete History by Les Daniels, Tales of the Dark Knight, Mark Cotta Vaz.

 4) O Batman costumava matar criminosos o tempo todo

Batman matador.

Ele os jogava de telhados — incluindo um membro da gangue de Frenchy Blake que ele jogou com “um poderoso arremesso.” Na primeira Bat-historinha, “O Sindicato Químico”, ele socou um criminoso em um tanque de ácido e disse, “um fim adequado para o seu tipo.” Ele também estrangulava criminosos até a morte com um laço, chutava-os com tanta força que quebrava seus pescoços e socava tão forte que matava os caras. Em Batman #1, ele matou um punhado de capangas de Hugo Strange com uma metralhadora. “Embora eu deteste tirar vidas humanas, temo que desta vez seja necessário!”, gritava Batman. Fonte: Tales of the Dark Knight, Mark Cotta Vaz, Batman Unmasked by Will Brooker.

5) O Cavaleiro das Trevas de Frank Miller teve críticas negativas

Isto é uma heresia.

Pelo menos, na de 1987 do New York Times da primeira edição da graphic novel de Batman, Mordecai Richler foi bem contundente:

“A história é complicada, difícil de acompanhar e entupida de muito texto. Os desenhos mostram Batman e Superman grotescamente musculosos, não os adoráveis campeões de antigamente… Se este livro é indicado para crianças, eu duvido que elas ficaram contentes. Se mira em adultos, eles não são o tipo de gente com quem gostaria de beber.”

Aqui tem uma hilária coleção de críticas negativas d’O Cavaleiro das Trevas na Amazon.com também.

6) Muitos elementos-chave do mito Batman não foram apresentados até os anos 1940

Batman, tem um queijo atrás de você.

O lar de Batman foi mencionado pela primeira vez como “Gotham City” na Detective Comics #48 de 1940; antes disso, Batman viva em “Metropolis” ou apenas Nova Iorque. O Bat-sinal não apareceu até a Detective Comics #62, em 1942. A Bat-caverna só deu o ar da graça em 1948; antes, o Batman só tinha um hangar secreeto para o Bat-avião e um celeiro abandonado ligado à Mansão Wayne por uma passagem secreta. Antes da aparição do Bat-sinal, as capas das revistas costumavam trazer o Batman à frente de uma lua gigantesca (que frequentemente era de amarelo brilhante) de fundo. Fonte: The Golden Age of Batman by Artabras.

7) A fantasia de Batman mais tosca já criada era parte da embalagem do Achocolatado Batman(TM)

Sucesso no jardim de infância.

Você recorta a lateral da caixa de leite e ganha um pedaço encharcado de papelão mais ou menos no formato da máscara do Batman. Imagine como a molecada devia ficar cheirosa depois de ir brincar com isso. Na imagem aparece uma máscara “recorte você mesmo” similar de outra caixa de leite que não era, na real, chamada de “Achocolatado Batman”, mas parece ter licenciado o mesmo design. Quer ver outros Bat-brindes vergonha-alheia do passado? Tem o Bat-duende, um estranho bonequinho do Batman se masturbando e o Batman russo.

8) Gotham City quase existiu na California

Esta Gotham parece animada.

Na vida real, não nos quadrinhos. O advogado Joseph F. Lewis, de Synnyvale, CA, tinha um clube noturno no Vale do Silício e o rebatizou de Whiskey-A-Go-Go para Mansão Wayne em 1966, quando a Bat-mania estava em alta. O clube então passou a ter uma decoração inspirada no Batman e dançarinas vestidas de Batgirl e Mulher-Gato. Ansioso por revitalizar o centro da cidade, Lewis fez um lobby junto ao conselho municipal para tentar rebatizar a cidade, de “Sunnyvale” para “Gotham City”. E ele quase conseguiu.

9) Barbara Gordon só virou a Batgirl porque o programa da TV exigiu

Maldita TV!

O produtor da série para a TV do final dos anos 1960, William Dozier, requisitou que a revista em quadrinhos desse uma nova parceira ao Batman, porque Betty Kane, a antiga Batwoman, tinha saído há tempos. O programa da TV queria uma nova personagem feminina e eles queriam que os quadrinhos mantivesse o passo. Então Barbara, a bibliotecária filha do Comissário Gordon, vestiu-se como Batgirl pela primeira vez em 1967. Alfred, o mordomo de Bruce Wayne, também estava morto nos quadrinhos — mas os criadores das histórias o trouxeram de volta à vida a pedido de Dozier. Alfred retornou em uma das histórias mais estranhas do Batman, na qual um vilão misterioso sobrenatural, o Outsider, revelou-se ser o Alfred em um disfarce.

10) Batman lutou com Dr. Doom antes do Quarteto Fantástico

Toma essa, Tocha!

Isso aconteceu na Detective Comics #158 (abril de 1950). Quando Batman e Robin estavam trazendo seu 1001º troféu para a Bat-caverna, o Dr. Doom conseguiu entrar e descobrir o esconderijo secreto deles. O Dr. Doom, então, faz uso de todos os Bat-troféus para matar a dupla dinâmica, apenas para morrer ele próprio em seguida. (Eu podia ter jurado que encontrei um vilão do Batman dos anos 1950 chamado Dr. Evil também nas minhas pesquisas, mas agora não consigo achá-lo novamente.) Também existe um vilão chamado Dr. No-Face, um nome curiosamente muito próximo do daquele vilão do James Bond.