Apesar dos acontecimentos atuais, Hollywood adora imaginar o apocalipse na telona. Muitos filmes de apocalipse terminam com a destruição total – enredos que terminem com a dominação alienígena ou a ocupação zumbi completa. Mas às vezes, os cineastas encontram pequenos pontos positivos no caos.

Aqui estão 10 filmes de apocalipse que nos trazem algo parecido com alguma esperança, contra todas as probabilidades.

Atenção: os textos sobre os filmes contém spoilers.

Alerta de Spoilers

10. Zumbilândia e Zumbilândia: Atire Duas Vezes


Zumbilândia e a sua recente sequência chegam a conclusões semelhantes: depois de colocar as personagens em todo tipo de drama de relacionamento, pontuado pela necessidade ocasional de abater alguns zumbis, todos percebem que a família improvisada que conseguiram construir enquanto o mundo se desmorona à sua volta é algo pelo qual vale a pena lutar.

O primeiro filme tem Colombo (Jesse Eisenberg) conquistando o coração de Wichita (Emma Stone); Atire Duas Vezes aposta mais alto no relacionamento ao torná-los noivos no final do filme, além de solidificar os laços não-românticos entre personagens como Tallahassee (Woody Harrelson) e Little Rock (Abigail Breslin), que finalmente percebem que estão na mesma equipe, mesmo que nem sempre estejam de acordo em tudo. O mundo deles está cheio de zumbis, mas o amor de alguma forma ainda encontra um caminho.

Disponível para comprar ou alugar no YouTube: Zumbilândia e Zumbilândia: Atire Duas Vezes.

9. Bird Box


Criaturas malévolas tornam a raça humana sua refém: quem ousa olhar para elas fica louco e rapidamente se mata. Ao perceberem o problema, as pessoas tentam se salvar – Malorie (Sandra Bullock) e seus dois filhos tentam encontrar um caminho numa floresta densa e remam por um rio, tudo isso de olhos vendados, em busca de um porto seguro.

Como as criaturas têm o poder de influenciar alguns humanos, usando-os para persuadir ou enganar outros a olharem para o monstro, não está claro se Malorie está realmente indo para uma comunidade oculta cheia de boas pessoas ou para a armadilha final.

No final, vemos que eles realmente encontraram refúgio (e alguma paz e esperança tão necessárias) em uma escola para cegos – onde pessoas que enxergam e cegos formaram sua própria comunidade, protegidos por pássaros que os avisam quando os intrusos estão por perto.

Disponível na Netflix.

8. Eu Sou a Lenda


Will Smith interpreta Robert Neville, o último humano na Terra (ou pelo menos é o que ele pensa) na esteira de uma praga devastadora que transformou sobreviventes infectados em criaturas canibais. Ele passa seus dias trabalhando em uma cura, e embora seu personagem se sacrifique heroicamente no final para salvar sobreviventes humanos, seu soro milagroso salva o mundo.

A adaptação de Eu Sou a Lenda é bem diferente do livro de Richard Matheson, embora exista um final alternativa no Director’s Cut que lembra um pouco mais o material original, quando Neville percebe que os monstros que ele tem combatido o percebem como monstro também.

Mas se você quer um apocalipse em que a raça humana acaba ficando bem, fique com a versão do cinema do filme. Palavra da sabedoria: não se afeiçoe demais ao pobre cão de Neville.

Disponível na Netflix e para alugar ou comprar no YouTube.

7. Mad Max: Estrada da Fúria


O lendário “Vale Verde” que Furiosa (Charlize Theron) e companhia estão procurando pode ser um mito, e nem todos os mocinhos (RIP, War Boy Nux) conseguem chegar ao final. Mas o vilão Immortan Joe tem aquilo que merece – ele se torna incapaz de montar uma fábrica de criações assustadoras ou de acumular cada gota de água para si.

E por mais dura que a vida pós-apocalíptica possa ser, uma mudança para uma liderança mais compassiva certamente significará dias mais brilhantes para todos aqueles que tentam fazer o deserto parecer um lar.

Disponível para comprar ou alugar no YouTube.

6) 28 Days Later (Extermínio)


Um vírus conhecido como “Rage” transforma a maior parte da população inglesa em zumbis ágeis – o que já é péssimo. Pior ainda é o fato de um grupo de militares não infectados e fortemente armados atraírem sobreviventes para um complexo fortificado prometendo assistência, quando na verdade estão transformando toda e qualquer mulher em escravas sexuais.

Felizmente, o trio de heróis – que inclui duas mulheres, uma delas ainda adolescente – que lutam contra os monstros o filme inteiro e consegue escapar da ameaça humana, encontram refúgio e um sinal claro de esperança de que o mundo não está completamente tomado pelos mortos-vivos.

Além disso, os zumbis começam a enfraquecer depois de terem esgotado as possibilidades de nutrição. Só não fique muito animado e assista 28 Weeks Later (Extermínio 2), que tem um final bem negativo.

Disponível para comprar ou alugar no YouTube.

5. Todo Mundo Quase Morto


Zumbis britânicos novamente! Não há cura ou a morte em massa dos zumbis nessa filme, e a maioria dos personagens principais não conseguem sobreviver. Mas a comédia romântica com zumbis de Edgar Wright consegue preservar as suas duas relações mais importantes: Shaun (Simon Pegg) e Liz (Kate Ashfield), que estavam à beira de terminar no pré-apocalipse, mas fortalecem os seus laços enquanto lutam contra os mortos-vivos; além de Shaun e o seu melhor amigo Ed (Nick Frost).

Graças a um avanço no tempo, vemos que após o surto inicial os zumbis foram “domesticados” para se tornarem parte da comunidade, que volta à normalidade.

Ed, que era uma espécie de zumbi chapado desde o início e se transforma num zumbi completo, passa a jogar videogame com Shaun, como nos velhos tempos.

Disponível na Netflix e para comprar ou alugar no YouTube.

4. Heróis de Ressaca


Outro filme de de Edgar Wright na lista, também estrelado por Simon Egg e Nick Frost, que fazem parte de grupo de amigos que se reencontram em um bar da cidade natal. Apesar de alguns ressentimentos de longa data (e entre muitas cervejas), eles descobrem que uma invasão alienígena está se encaminhando, com andróides que lentamente substituem os seres humanos reais.

Assim como Todo Mundo Quase Morto, o final feliz de Heróis de Ressaca é ligeiramente afetado: embora os alienígenas abandonem o plano, eles derrubam toda a energia da Terra, incluindo a internet e toda a tecnologia, como um último “foda-se”.

Apesar disso, o revés faz com que o jogo vire para os personagens principal, mesmo aqueles que se transformaram em robôs. Como ficamos sabendo no final, essa era desconectada significa que os casamentos são salvos, as carreiras são salvas e todos começam a comer comida orgânica. Simon Pegg que era um alcoólatra deprimido fica sóbrio e passa a viver como sempre quis.

Disponível para comprar ou alugar no YouTube.

3. Juízo Final


Um vírus mortal (sem cura e sem vacina) toma conta da Escócia e o país inteiro entra num estado fortemente isolado do resto do mundo – incluindo a Inglaterra, que sofre de uma crise econômica no rescaldo da crise.

Três décadas depois surge a notícia surpreendente de que o vírus surge em Londres, então o governo decide enviar uma equipe de elite para ver se talvez há alguma cura escondida dentro da nova ordem mundial de sobreviventes da Escócia, a maioria canibais selvagens, violentos e loucos.

Acontece que a cura não existe – algumas pessoas sortudas simplesmente não são afetadas por este vírus em particular – mas há esperança de que a cura possa ser desenvolvida, uma preocupação que domina as pessoas uma vez que o vírus se esopalha para além da zona de contenção.

Chamamos isso de um final otimista porque, nos momentos finais, a herói, personagem principal Snake Plissken (Rhona Mitra) consegue acabar com o primeiro-ministro corrupto da Inglaterra e destitui o líder canibal. Embora uma das vitórias envolva uma gravação secreta e a outra uma nojenta cabeça decepada, ambos os triunfos são profundamente satisfatórios.

Indisponível nas principais plataformas de streaming.

2. O Dia Depois de Amanhã


Quando alterações climáticas provocam tempestades monstruosas em todo o mundo, a Terra rapidamente mergulha numa nova era glacial. A maior parte de O Dia Depois de Amanhã envolve duas coisas: a) imagens do desastre com computação gráfica (incluindo uma seqência estendida de tornados que destroem Los Angeles), e b) a trama frenética do personagem de Dennis Quaid, um paleoclimatologista, que corre para resgatar seu filho (Jake Gyllenhaal) de uma Manhattan congelado que de repente está cheia de perigos estranhos, como as matilhas de animais fugidos do zoológico.

Um grande pedaço do planeta se torna completamente inabitável no final do filme, mas a maioria das pessoas que aparecem na trama conseguem ir para o México e se salvarem. Os EUA se dão mal, mas a humanidade sobrevive.

Milagrosamente, o recém-eleito presidente dos EUA – um idiota cético que aparece quando o mundo começa a implodir – vai à TV dizendo que estava errado ao minimizar os avisos sobre a crise iminente, e assume a responsabilidade por ter tornado as coisas piores. Dá para imaginar?

Disponível no Telecine Play e passará nos canais Telecine Action (29/03, 10h25) e Megapix (02/04, 20h15).

1. É o Fim


O arrebatamento, ou algo muito parecido com isso, desce sobre o mundo – e vemos É o Fim pelo ponto de vista de alguns amigos famosos de Hollywood, incluindo Seth Rogen e Jay Baruchel, que interpretam versões exageradas e tolas de si mesmos.

Depois de um filme inteiro de dramas apocalípticos, os sobreviventes que provam ser altruístas finalmente conseguem entrar numa gloriosa vida após a morte.

A Terra pode ter acabado, e todos os personagens estão definitivamente mortos, mas essa versão do céu permite que todos os seus desejos se tornem realidade – incluindo uma festa liderada pelos Backstreet Boys sempre que você quiser.

Disponível para comprar ou alugar no YouTube.