5 razões para comprar um iPhone 11 em pleno 2023

Preço, câmera e suporte estão entre os motivos que levam o iPhone 11, um celular lançado em 2019, ainda ter lenha para queimar.
iPhone 11 (RED) de 64GB com preço promocional na Amazon
Imagem: Amazon/Reprodução

Lançado em 2019, o iPhone 11 era considerado um dos melhores celulares de sua época. Quase quatro anos depois de seu lançamento, ele sobrevive ao teste do tempo e ainda é um smartphone bastante desejado, apesar de modelos mais modernos no mercado. O que explica esse fenômeno?

Listamos cinco motivos que fazem o iPhone ainda valer a pena em pleno 2023. Confira:

Preço

Esse é de longe um dos principais atrativos do iPhone 11. Apesar de não ser mais fabricado pela Apple, ainda é possível encontrar um modelo novo do smartphone por menos de R$ 3 mil — o modelo branco de  64 GB, por exemplo, sai por R$ 2.800 (link aqui). Se for usado, esse valor ainda pode cair pela metade. Já um iPhone 12 é possível encontrar promoções com preços a partir de R$ 3,7 mil (como este aqui!)

O único modelo que chega perto do iPhone 11 em questão de preço é o iPhone SE. Porém, apesar de ter sido lançado em 2022, o SE leva a pior em vários quesitos em comparação com o 11, como câmera, bateria e tela. Além disso, o visual do iPhone SE é considerado antiquado em 2023.

Câmera do iPhone 11

Apesar dos quase quatro anos de diferença, a câmera do iPhone 11 não deve nada para modelos mais novos. Assim como o iPhone 14, o smartphone vem com uma câmera principal de 12 megapixels e uma ultra-wide também de 12 megapixels. Ainda conta com recursos como Modo Noturno, Deep Fusion e HDR Inteligente, além de suporte para vídeos em 4K a 60 fps.

Em contrapartida, não conta com modo Cinema nem o Estilos Fotográficos, mas para um usuário comum esses recursos extra acabam não fazendo tanta falta.

Quem quiser uma câmera ainda melhor, pode ainda comprar um iPhone 11 Pro, que conta com uma lente teleobjetiva extra. Porém, ele costuma sair um pouco mais caro do que o modelo padrão.

Bateria

Com sua bateria de 3110 mAh, o iPhone 11 não fica muito atrás do iPhone 14, que tem 3279 mAh. O fato de não contar com conexão 5G faz com que sua carga dure mais tempo. A promessa da Apple é de até 17 horas de uso contínuo. Porém, é importante salientar que produtos usados tem uma carga de bateria menor por causa do desgaste natural do tempo.

Além disso, o iPhone 11 conta com recursos como carregamento sem fio padrão Qi, carregamento rápido de 18 W e atualização constante do software, que ajuda a melhorar a performance da bateria.

Suporte do iPhone 11

Assim como muitas empresas, a Apple não costuma fazer atualizações de seus produtos mais antigos. Em média, o suporte para novos iOS dura de cinco a seis anos. Portanto, no caso do iPhone 11, é possível esperar suporte oficial até 2026.

Com a atualização do iOS 17 já garantida para setembro de 2023, é possível esperar que o iPhone 11 rode pelo menos até o iOS 19, sem falar nas atualizações de segurança.

Desempenho

O chip A13 Bionic já foi ultrapassado pelo A16 do iPhone 14 Pro, mas ainda assim ele consegue entregar uma performance bastante satisfatória. Equipado com seis núcleos de CPU, quatro núcleos de GPU e oito núcleos Neural Engine, o usuário médio dificilmente sofrerá problemas de performance.

Um possível gargalo no longo prazo pode ser a memória RAM de 4 GB. Porém, vale lembrar que os iPhones 12 e 13 também possuem apenas 4GB.

Assine a newsletter do Gizmodo

Igor Nishikiori

Igor Nishikiori

Formado em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Já passou pelas redações da Editora JBC, São Paulo Shimbun, Folha de S. Paulo e Portal R7. Prefere o lado alternativo das coisas, de música a futebol.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas