Os jovens estão obcecados por uma nova lenda urbana (ou meme) que consiste em um ritual de invocação de demônios culturalmente inexato. Cerca de dois milhões de pessoas usaram a hashtag #CharlieCharlieChallenge no Twitter nos últimos dois dias.

E você não vai querer ficar de fora do Desafio Charlie Charlie, mais uma moda jovem e maneira do ocultismo, vai? Se tudo o que você queria do desafio da canela era uma forma de se conectar com o mundo dos mortos, é só fazer o seguinte:

  1. Desenhe uma cruz em uma folha de papel.
  2. Escreva possíveis respostas para o demônio mexicano preso em lápis chamado Charlie (“sim” e não” parecem funcionar).
  3. Posicione os lápis uma sobre o outro sobre a cruz desenhada e diga “Charlie Charlie, você está aí?”
  4. Espere até a gravidade entrar em ação, ignore como a gravidade funciona, e entre em pânico com o terror de ver dois utensílios de escrita se mexendo sozinhos.

https://twitter.com/gillinskyaf/status/603147163242225664

Este não só não é um novo jogo, como não passa de ideia cafona de ocultismo feita especialmente para a geração do Vine. A ideia de invocar em conjunto um espírito é algo que as pessoas fazem para assustar a si mesmas há muitos anos, seja chamando pela “Loira do Banheiro” em frente ao espelho, ou por “Bettlejuice” depois de passar muito tempo sobre a volátil carreira de Michael Keaton.

Os lápis respondendo a comandos de uma possível presença sobrenatural pode ser explicado pelo fenômeno psicológico da pareidolia — quando a sua mente dá significado importante a estímulos, vagos, aleatórios ou insignificantes, como ver imagens nas nuvens, por exemplo. É o mesmo exotismo sem sentido presente no tabuleiro Ouija (que foi criado por um empresário americano, apesar do nome misterioso)

A BBC investigou as origens mexicanas do Desafio Charlie Charlie e concluiu que ele não é baseado em nenhuma cultura do México.

“‘Não existe nenhum demônio chamado Charlie no México’, diz Maria Elena Navez do BBC Mundo. ‘Lendas mexicanas são geralmente originadas da história Asteca e Maia, ou de muitas das crenças que começaram a circular durante a colonização espanhola da América. Você sempre encontra deuses com nomes como ‘Tlaltecuhtli’ e ‘Tezcatlipoca’, da língua Nahuatl, na mitologia mexicana. Mas, caso essa lenda tenha se originado após a colonização espanhola, tenho certeza que o demônio teria o nome de ‘Carlitos’ (Charlie em espanhol)’”.

‘Demônios mexicanos são geralmente invenções americanas’, diz.”

O site KnowYourMeme determinou a origem da invocação “CharlieCharlie” em um vídeo postado em 2014 no YouTube sob o nome de “Jugando Charly Charlie”, postado por alguém que fala espanhol. No entanto, as pessoas do vídeo jogam uma variação do meme que atualmente faz os jovens perderem a cabeça.

Mas ele existe há mais tempo que isso. Em 2008, um usuário chamado twilightfan postou uma história sobre como uma brincadeira com lápis podia se conectar a “um fantasma chamado Charlie que morreu de abuso infantil” no site YourGhostStories.com. No agregador de tristezas Yahoo! Respostas, usuários tem perguntado sobre o jogo dos lápis de Charlie desde 2010.

1269801250752542823

Não se sabe exatamente quando Charlie se tornou algo tão específico como o demônio mexicano, mas uma vez que a mania paranormal viralizou, não levou muito tempo para religiosos alertarem sobre os perigos de invocar nefastos espíritos com o jogo do lápis.

Memes de adolescentes vão e vem com uma tremenda velocidade, e este ainda é uma melhoria do desafio #KylieJennerLipChallenge, uma vez que o de invocação sobrenatural não envolve machucar os próprios lábios. E é também uma clara melhoria do desafio Slender Man, já que ninguém se inspirou no Charlie Charlie para assassinar alguém (ainda).

Foto de capa: BBC