A Noruega se encontra em um dilema após um ataque terrorista prejudicar duas construções Brutalistas no centro de Oslo. Derrubar os prédios é uma coisa – eles estão se desintegrando, são controversos e, bem, brutais. Destruir os murais de Picasso gravados no concreto, no entanto, é uma questão completamente diferente.

Ao todo, quatro murais com design de Picasso estão nos muros dos prédios do Regjeringskvartalet, ou “Quarteirão do Governo”. As cenas infantis, executadas pelo artista norueguês Carl Nesjar, representam a primeira incursão de Picasso em muros de concreto. Eles variam em tamanho de The Fisherman, uma imagem de 12 metros de largura que ocupa uma parede inteira, a The Beach, gravada na parede interior de outro prédio.

original (15)

Não é necessário dizer que essas obras de arte são bem difíceis de se transportar. E como Picasso projetou-as com um propósito específico, especialistas em arte acreditam que elas seriam corrompidas em uma nova localização. “[Elas] não são como pinturas que você pode pegar e carregar por aí”, explicou Claudia Andrieu da Picasso Administration ao The Wall Street Journal. “[Picasso] fez as obras para esses prédios em particular, e não para outros.” Ela continuou, “É inacreditável a recomendação de derrubar os prédios sem nos contatar.” Ops.

Também há o ponto de vista arquitetônico. Os prédios em questão representam exemplos clássicos do estilo Brutalista. Projetado pelo arquiteto norueguês Erling Viksjo, eles foram inspirados por prédios parecidos de Le Corbusier em Marselha, assim como a sede da Organização das Nações Unidas em Nova York. No entanto, os prédios de Oslo foram profundamente danificados por um carro-bomba durante o ataque de Anders Breivick em 2011. Restaurar as construções custaria mais de US$ 70 milhões, e autoridades de Oslo acreditam que o dinheiro seria melhor investido em prédios de escritórios modernos.

A opinião pública está dividida em relação ao que fazer aqui. Restaurar os prédios é caro e, de certa forma, besta, considerando que a arquitetura é velha. Destruir os prédios seria uma vergonha já que muitas pessoas gostam dessa arquitetura. Mas a questão mais complicada, realmente, é o fato de que não há uma boa forma de salvar os murais de Picasso. Então quando as autoridades locais tomarem a decisão final sobre o que fazer no ano que vem, alguém certamente ficará insatisfeito. Mas, ei, não é isso que a arte costuma fazer? [WSJ]

Imagens via Wikipedia