Ocasionalmente, temos uma breve visão dos testes escondidos que garantem qu o nosso mundo fundido à tecnologia funcione sem problemas: barras coloridas na tv ou blocos de texto em “lorem ipsum”. Existe uma história fascinante por trás de cada um destes testes.

Alguns arquivos de teste são bem conhecidos; alguns não mostraram tanto as caras, mas não tão cruciais quanto os outros e possuem papel importante nos bastidores. A Bule de Chá de Utah, por exemplo, um teste padrão para renderização 3D, cuja existência foi homenageada no Toy Story original. De onde foi que esse bule veio?

Abaixo seguem histórias desconhecidas de alguns testes padrões que fazem nosso mundo girar.

Lorem ipsum

Parte Latim, parte texto sem nexo, o Lorem ipsum é um texto modelo presente em quase todo exemplo de layout. O texto vem de De finibus bonorum et malorum”, de Cícero, mas palavras foram removidas e alteradas, o que fez que estudantes de latim percebessem que o texto acabou ficando sem sentido. O texto original começa assim: “Neque porro quisquam est qui dolorem ipsum quia dolor sit amet consectetur adipisci velit…”

O que aparece no final é o corpo de um texto no qual a frequência e o comprimento das letras e palavras é parecido com um texto em inglês. Não é claro o motivo pelo qual tipógrafos começaram a usar o Lorem ipsum, mas a versão atual foi popularizada pelo PageMaker no MacIntosh da Apple.

Barras coloridas SMPTE

Se você via muita televisão no passado — particularmente durante de noite — então você provavelmente deu de cara essa série de barras coloridas acompanhadas de um som monótono bem alto. As “barras e tom” são formalmente conhecidas como Society of Motion Picture and Television Engineers (SMPTE)’s Engineering Guideline EG 1-1990, e são usadas para calibrar monitores.

O que, ao olho destreinado, se parece com blocos coloridos aleatórios, é na verdade um teste de padrões feito com muitos cuidado. Por exemplo, as cores amarelo, ciano, verde, magenta, vermelho e azul na verdade vão da mais luminosa para a menos, e isso é usado para encontrar o nível de branco ideal. O modo “apenas azul”, as listras em azul, preto, magenta e branco são usados para balanço de cor (abaixo). Tem muito mais nerdice dentro disso tudo, se você se interessar. Este teste de padrões, desenvolvido pelos laboratórios da CBS, foi premiado um Emmy técnico em 2001-2002.

m7b8yf95lsbc5bjkyijz

Teste de padrões Cabeça de Índio

lbj9d2aoqfqn2srtqrpr

Testes de padrões também existiam para TVs preto e branco e eles eram, bem, produto do próprio período. Este padrão foi desenvolvido pela Radio Corporation of America (RCA) para ajudar telespectadores a sintonizar os televisores. Presumivelmente, as linhas grossas e finas da cabeça do indígena foram escolhidas para fazer algum teste, mas o motivo da escolha do desenho acabou se perdendo no tempo.

Frases de Harvard

oorfgo4fihyw01dffban

Durante a Segunda Guerra, o Laboratório de Psicoacústica de Harvard desenvolveu uma série de frases para testar equipamentos de comunicação militar. Cada lista de 10 frases é foneticamente balanceada, aproximando a frequência dos fonemas para um inglês falado naturalmente. Por mais bizarras que estas frases soem aos ouvidos modernos, elas ainda são vastamente usadas para testar comunicadores por voz, de VoIP à qualidade de ligações celulares. Se você tem interesse em aprender mais sobre a origem dessas frases de Harvard, segue um artigo do arquivo do Gizmodo.

Canterbury Corpus

okaqf5ah4sdn9u1mgzfe

Screenshot via Data Deduplication

Uma das coisas esquisitas de se ir do arquivamento analógico para o digital é a possibilidade de comprimir um arquivo para ele ocupar menos espaço — sem nenhuma perda de dados. É o que acontece quando você transforma uma pasta em arquivo .zip no seu computador. E para testar este tipo de algoritmo, pesquisadores usam o Canterbury Corpus, uma coleção de 11 arquivos desenvolvidos pela Universidade de Canterbury em 1997. (E enquanto os arquivos contém obras de Shakespeare e Milton, ele não possui nenhuma de Chaucer. Canterbury diferente.) O Canterbury Corpus substituiu o Calgary Corpus, uma versão mais antiga que não era formada inteiramente por arquivos de texto.

Bule de chá de Utah

bbhysw6dqiifxwfnzmym

Uma renderização do bule de chá e Utah. Dhatfield/Creative Commons

Lá em 1970, o pesquisador Gráfico Martin Newell esboçou o bule de chá que ele tinha em casa. Newell buscava maneiras de representar formas 3D em dados que poderiam ser renderizados em uma imagem pelo computador. Este esboço, acompanhado das coordenadas 3D do formato do bule, é a base para um modelo virtual que pesquisadores gráficos usam até hoje.

O bule original está hoje em exposição no Museu da História do Computador, em Mountain View, Califórnia. Mas e o bule virtual? Você pode vê-lo em filmes de animação como Toy Story e em alguns episódios de Os Simpsons.

“The quick brown fox jumps over the lazy dog”

gcontx5t2mrhiqdngmuf

Um pangrama é uma frase que usa todas as letras do alfabeto pelo menos uma vez. “The quick brown fox jumps over the lazy dog” — do inglês, A rápida raposa marrom salta sobre o cão preguiçoso — foi usada em lições de digitação, e desde então vem ganhando mais popularidade, com muitos tipógrafos usando-a para mostrar o próprio trabalho.

Este é o teste da língua inglesa mais famoso, mas está longe de ser o mais eficiente. Essa honra vai para o pangrama perfeito “Cwm fjord bank glyphs vext quiz”, que usa cada letra do alfabeto uma única vez. Entretanto, é preciso sorte para lembrar-se dela.