A espaçonave Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) se superou nesta foto da Terra tirada da superfície rochosa da Lua. Por mais complicada que tenha sido a captura da imagem, achamos que o esforço foi compensado pela beleza dela.

terra-2

Esta maravilhosa imagem da Terra foi tirada no dia 12 de outubro de 2015 pela espaçonave LRO quando ela subiu 35km na cratera Compton na Lua. A imagem centraliza a África, com um pedaço da América do Sul aparecendo no horizonte.

A Lua não tem um “nascer da Terra” nem “pôr da Terra”. Por estar fortemente presa à Terra, o planeta sempre aparece no mesmo ponto acima do horizonte, exceto em uma ou outra oscilação. É assim que a Terra aparece relativamente à cratera Compton todos os dias, com apenas os oceanos e continentes girando para oferecer uma visão em constante mudança.

terra-3

Imagem em preto e branco com contraste natural [esquerda], Lua com o contraste esticado [meio], e a Terra colorida [direita]. Crédito da imagem: NASA/GSFC/Universidade do Estado do Arizona

Tirar essa foto com o Lunar Reconnaissance Orbiter não foi nada fácil. Em primeiro lugar, a câmera precisou ficar de lado, e então girar para maximizar a quantidade do horizonte que ela conseguia ver. A câmera de ângulo estreito é um scanner de linha, capturando uma imagem geometricamente distorcida que precisou ser colada. O Centro de Voos Espaciais Goddard preparou essa animação para ilustrar como eles manobraram a espaçonave durante a sequência de captura da imagem:

Assim que a imagem em preto e branco foi montada, eles precisaram fazer só algumas modificações para finalizar essa foto do nosso planeta. Em primeiro lugar, o contraste foi esticado para brilhar nossa Lua escura até que se tornasse algo mais visível. Depois, dados de cores da câmera de ângulo amplo foram adicionados para combinar com as cores reais da nossa casa naquele momento exato.

É um esforço muito grande para uma única foto, mas os resultados são surpreendentes. Muito obrigado, NASA.

[NASA]