Os robôs podem não ter sentimentos, mas humanos desenvolvem sentimentos por eles. Você sabe, como o R2-D2 em Star Wars. Ou como o Scooby Doo, este pequeno robô da vida real que salvou o dia 19 vezes. Esta é a sua triste história.

O Scooby Doo era um iRobot PackBot. PackBots são robôs de 27kg usados para reconhecimento, vigilância e descarte de bombas. Eles têm quatro câmeras, um braço articulado com garra e uma espécie de nadadeira que permite que eles subam em obstáculos (como escadas). Eles são resistentes, fáceis de controlar, e apesar de terem sido usados para descarte de bombas em território americano, foi na guerra do Iraque e Afeganistão onde eles realmente se destacaram. Dispositivos explosivos improvisados (DEI) são a causa número um de morte de soldados lá, e os PackBots se tornaram uma das melhores ferramentas para a unidade de destruição de materiais explosivos (EOD –Explosive Ordnance Disposal) possui no Oriente Médio.

O Scooby Doo foi um excelente robô. Durante seu desenvolvimento no Iraque, ele ajudou a se livrar de 17 DEIs, 1 carro bomba e 1 bomba que não explodiu (que é sempre uma grande aquisição para uma unidade EOD por causa das informações que eles podem conseguir sobre quem fez a bomba). Para cada missão bem sucedida, os soldados desenhavam uma marca no Scooby Doo, similar a como jatos de combate marcam o número de inimigos que eles derrubaram na carcaça de seus aviões. Scooby se tornou o membro de uma equipe com soldados que confiavam uns nos outros.

A morte de Scooby Doo

Mas um dia Scooby encontrou seu fim. Talvez ele tenha se tornado meio preguiçoso, ou ficou muito convencido. Talvez seu ego inflado o fez acreditar que podia fazer coisas que seu corpo não conseguia acompanhar. Nunca saberemos. Mas Scooby Doo foi morto no Iraque quando uma DEI que ele estava tentando desarmar explodiu.

Assim como Luke depois de R2-D2 salvar o dia, um membro veterano da unidade EOD levou o corpo de Scooby para a garagem onde faziam reparos, em Camp Victory, e disse: “você tem que consertar o Scooby”. O técnico disse que Scooby não tinha mais conserto, mas ele poderia receber um robô novo. Não, este soldado insistiu que Scooby Doo fosse consertado. Ele não queria um robô novo – ele queria o Scooby Doo de volta. O Scooby Doo fazia parte da equipe. Ele salvou suas vidas. Segundo relatos, este soldado veterano estava visivelmente transtornado.

E isso não é incomum. Unidades EOD são conhecidas por promover seus robôs a títulos tais como Sargento-Mor, premiá-los com Coração Púrpura, e até mesmo fazer funerais para seus companheiros robóticos. Eles atribuem a eles personalidades, temperamentos. Alguns até mesmo levam os robôs para pescar com eles e deixam que eles segurem a vara de pescar. Independente de você chamar isso de companheirismo ou preguiça, eu diria que isso é uma ligação emocional. Não é difícil entender pelo que a equipe do Scooby Doo passou. Se o seu cachorro estivesse gravemente ferido, você o levasse ao veterinário e ele falasse, “Desculpa, não há nada que eu possa fazer, mas que tal um cachorro novo?” provavelmente você diria algumas gentilezas sobre a mãe dele, e que o seu amigo não é tão facilmente substituível.

Nós nos apegamos. É por isso que você nunca deveria dar nomes a nada que está destinado a morrer. Isso inclui animais e crianças.

Deixando as piadas de lado, eu tenho certeza que ficaria transtornado também. Pense nas ligações emocionais que fazemos com a tecnologia. Quantas discussões você já viu (ou nas quais participou) sobre qual celular ou computador é melhor? Por mais idiotas que pareçam, elas podem ficar bem agressivas – leia os comentários em qualquer post sobre iPhone ou Android se você não acredita em mim. E eles são apenas smartphones, mas nós nos dedicamos a essa tecnologia que faz parte de nossa vida. E o Scooby Doo participou de 19 missões bem sucedidas, provavelmente salvando dezenas de vidas inocentes. Como você poderia não se apegar a algo assim?

Scooby Doo agora reside em um museu da iRobot em Bedford, Massachussetts.  Ele tem uma placa dedicada a ele, e sua carcaça ainda mostra orgulhosamente seu nome e estatísticas: 17 DEIs, 1 carro-bomba e 1 bomba que não explodiu. Este é o tipo de estatística que qualquer um se orgulharia de ser lembrado depois de sua morte. Talvez alguém da antiga unidade do Scooby leia isso e vá visita-lo para prestar homenagens. Eu gostaria muito de ser uma mosquinha na parede para assistir isso.

Descanse em paz Scooby Doo, e obrigado pelas vidas que você salvou.

Um enorme obrigado para Tim Trainer, Charlie Vaida, Paul Smith, e Dave Whiting do iRobot, e também para Dave Welch do G4 que trabalha no Bomb Patrol: Afghanistan (algo que todo mundo deveria assistir).