O Adblock Plus, um dos serviços mais populares para bloqueio de propagandas na web, em breve começará a vender seus próprios anúncios e receber parte do dinheiro.

A disputa Facebook vs. Adblock Plus sobre bloqueio de anúncios está só começando
O impacto de bloquear anúncios em sites é maior do que você imagina

Parece estranho, mas não é de todo uma surpresa. O Adblock Plus vem se posicionando há um bom tempo como uma espécie de agência de publicidade online. Agora eles estão tornando concreto algo que era originalmente ambíguo.

De acordo com o Wall Street Journal, a Eyeo – que administra o ABP – está se unindo a uma empresa de tecnologia de propagandas para usar sua “Plataforma de Anúncios Aceitáveis” para vendas.

As propagandas serão vendidas por parceiros como o Google, que usará um ecossistema próprio para tanto. Segundo o The Verge, 80% da receita irá para o site, enquanto o Adblock Plus leva 6% e o restante vai para a agência de anúncios.

O ABP inaugurou sua iniciativa de Anúncios Aceitáveis em 2011 e logo começou a liberar propagandas oferecidas pelo Google, Microsoft, Amazon e Taboola – por um preço. Estes anúncios aceitáveis ​​são imediatamente autorizados a passar por filtros do Adblock Plus por padrão, desde que se encaixem em critérios de tamanho e posicionamento.

Como dissemos antes, as propagandas do Taboola não são exatamente “aceitáveis”: você encontrará links prometendo tratar diabetes sem remédio; um site que vende conselhos financeiros baseados na Bíblia; e clones bizarros do BuzzFeed. Ainda assim, a Taboola pagou e entrou na whitelist.

Vale lembrar que é possível desativar a opção “permitir algumas propagandas não-invasivas”, o que bloqueará até mesmo quem pagou para exibir anúncios a mais usuários.

[Wall Street Journal]

Primeira imagem via