Colocar nossos corpos em tubos de metal para voar quilômetros acima do chão já é uma experiência bem desumana. E “piadas” sobre bombas podem tornar isso ainda pior, como pareceu reconhecer a advogada de um jovem que decidiu brincar sobre ter um explosivo a bordo na Nova Zelândia. “O evento mais grosseiramente estúpido do século”, afirmou a profissional.

Um imbecil causou pouso de emergência de avião por criar rede Wi-Fi ‘bomba a bordo’
Terrorista em voo na Somália supostamente escondeu uma bomba dentro do laptop

Na noite de quarta-feira (9), o australiano Meke Fifita, de 19 anos, digitou “eu tenho uma bomba” no app de mensagens de avião em um voo que ia de Auckland para Sydney, conforme noticia o site de notícias neozelandês Stuff. De acordo com o veículo, o tribunal ouviu que Fifita “imediatamente” soube que um anúncio de violação de segurança feito no voo era resultado de seu comentário. No momento, o avião ainda estava na pista do aeroporto na Nova Zelândia, e, ao voltar para o portão, Fifita foi preso e acusado de violar a Lei de Aviação Civil do país.

“Achei que era engraçado”, foi a explicação que o jovem deu para suas ações, segundo o Stuff. Sua advogada, Jane Northwood, teria dito que “nunca viu alguém mais angustiado ou com remorso e abalado”.

No fim, Fifita foi ordenado pelo tribunal a pagar US$ 3 mil em reparações pelo custo do susto que causou em contribuintes, serviços de emergência e no aeroporto. De acordo com o Stuff, o pai do jovem pagou o montante, e Fifita foi deportado.

“Qualquer um com meio cérebro entenderia que isso não é engraçado de se fazer, considerando a época em que vivemos”, disse a juíza Anna Johns, conforme relata o Stuff.

Fifita está longe de ser a primeira pessoa cujas ações “grosseiramente estúpidas” acabaram com os planos de um avião cheio de gente. Anteriormente, um passageiro causou um pouso de emergência depois de nomear uma rede de Wi-Fi como “bomba a bordo”, em um voo de Nairóbi, no Quênia, para Istambul, na Turquia. Um outro causou o cancelamento de um voo ao criar uma rede de Wi-Fi chamada “galaxy note 7”, e esse outro idiota causou o atraso de um outro voo com sua rede “Al-Quida Free Terror Nettwork”.

Em entrevista ao Stuff, um passageiro presente no voo em que Fifita estava disse que todos receberam vouchers de comida e foram hospedados em hotéis para passar a noite.

[Stuff.co.nz via The Telegraph]