Miller, também conhecido como Afterlife, está dentro dos 2% da população que sofre de "hipersensibilidade eletromagnética", que o deixa sensível a ondas de rádio que estão em redes Wi-Fi, telefones celulares e até microondas. Os sintomas são enjoo, tontura e desorientação. Isso o impede de frequentar hotéis, trens e até grandes avenidas.

Ele diz:

Me sinto isolado em meu próprio planeta. Se eu quiser tomar uma cerveja, tenho que viajar 3 milhas até um pub que não tem Wi-Fi. Se eu entro em algum lugar, sinto a sinal Wi-Fi na mesm ahora e tenho que ir embora.

O DJ afirmou também ter pedido vários shows internacionais por conta das redes presentes em aeroportos e hotéis. O único lugar que ele diz escapar disso tudo é sua casa na cidade de Falmouth, na Inglaterra, que conta com uma parede de 48 cm de granito.

Também na Inglaterra, uma mulher deu um jeito e construiu um capacete contra as ondas magnéticas, feito de um "material escudo".

Apesar de esse não ser um caso isolado, a OMS (Organização mundial de saúde) diz que não há relação entre estes sintomas e os campos eletromagnéticos.

Pelo jeito esta história vai longe. Desde os anos 90 se fala da possibilidade de contrair câncer pelo uso de telefones celulares (também por conta das tais ondas), e parece que sempre haverá novidades hipocondríacas para novidades tecnológicas. [Telegraph, Dailymail]