Nos últimos dois anos, a Sidewalk Labs, empresa da Alphabet (subsidiária dona do Google), centrada em cidades inteligentes, investiu milhões para construir o que chamou de cidade inteligente modelo no centro de Toronto, no Canadá.

O bairro planejado, chamado “Quayside”, deveria ser nada menos que utópico, com tudo, desde moradias acessíveis até a própria rede elétrica da companhia — mas, como a maioria das tecnologias que o Google toca, essas vantagens viriam com a obtenção de dados dos moradores, vários protestos e uma eventual ação de advogados canadenses preocupados com o potencial de vigilância da cidade inteligente.

No fim das contas, não foram os críticos que acabaram com os planos da cidade. Em vez disso, de acordo com um post no Medium feito nesta quinta-feira (7) pelo CEO da Sidewalk, David Doctoroff, os planos para o Quayside foram descartados devido à queda induzida pela pandemia no setor imobiliário local. Diz ele:

Nos últimos dois anos e meio, estávamos apaixonados em fazer o Quayside acontecer — de fato, investimos tempo, pessoas e recursos em Toronto, incluindo a abertura de um escritório para 30 pessoas à beira mar. Mas como a incerteza econômica sem precedentes se instalou em todo o mundo e no mercado imobiliário de Toronto, tornou-se muito difícil viabilizar financeiramente o projeto de 12 acres sem sacrificar as partes principais do plano que desenvolvemos em conjunto com a Waterfront Toronto para construir uma comunidade verdadeiramente inclusiva e sustentável.

E assim, depois de muita deliberação, concluímos que não fazia mais sentido prosseguir com o projeto Quayside e avisamos a Waterfront Toronto ontem.

Mesmo antes do mercado imobiliário afundar, o projeto Quayside estava enfrentando uma batalha árdua desde o início. No ano passado, a Sidewalk Labs reduziu drasticamente a cidade proposta de uma extensão de quase 200 acres para uma menos de um décimo desse tamanho, sem mencionar algumas renúncias públicas do comitê de supervisão do projeto citando a “apatia” da Sidewalk Labs em relação ao público canadense, particularmente quando preocuparam-se com a história instável do Google com a privacidade digital.

Obviamente, essas preocupações não impediram a Sidewalk Labs de avançar e provavelmente não os impedirão de avançar no futuro. Uma cidade abastecida por vigilância pode estar fora de questão por enquanto, mas, de acordo com o CEO Doctoroff, a Sidewalk Labs continuará apoiando seus desdobramentos. Esses planos incluem o Replica, um projeto que mapeia cidades usando dados de localização móvel dos telefones de residentes, e a Cityblock, uma startup milionária criada para levar serviços de saúde às comunidades mais pobres.