A Amazon anunciou esta semana o Echo, um alto-falante inteligente que ouve seus comandos. Este é o dispositivo mais inovador que a empresa fez em anos. Mas será que vai vingar?

O Amazon Echo é um alto-falante Bluetooth com 23,5 cm de altura que emite som em 360 graus. Mas ele também escuta você: diga a palavra-chave (“Alexa”, por exemplo) e pergunte por informações ou faça comandos.

Quer saber a previsão do tempo? O Echo diz para você. Precisa resolver uma dúvida? Ele busca qualquer informação de que você precise. Quer tocar uma música específica? É só dizer qual. Vai adicionar algo à sua lista de compras? O Echo – e a Amazon – estarão felizes em ajudar.

Ele se conecta à internet via Wi-Fi, e usa processamento na nuvem através do Amazon Web Services para responder aos seus comandos. Funciona assim:

O dispositivo usa “reconhecimento de fala de campo distante”, permitindo falar com ele do outro lado do cômodo. É como conversar com a internet, desta vez através da mobília na sua casa. É a web levada para sua sala de estar – ou melhor ainda, para a cozinha.

Se você estiver muito longe do Echo, pode usar um app para Android ou Fire OS, ou uma versão web para iOS. Então por que não simplesmente usar o Google Now, ou Siri, ou Cortana?

A Amazon aposta que existe um certo número de pessoas interessadas em reconhecimento de voz dedicado que não precisa ser ativado com as mãos. Ele também é um alto-falante com woofer de 2,5″ e tweeter de 2″ que custa US$ 99 para assinantes do Amazon Prime. (Para outras pessoas, ele custa US$ 199.)

Amazon Echo - convite

Mas a Amazon provavelmente não confia tanto assim no Echo, porque o lançou de forma diferente: você precisa de um convite para poder comprá-lo. (E você achando que a OnePlus era a única!) Trata-se de um lançamento limitado, para saber se realmente há interesse em uma tecnologia dessas; os convites serão distribuídos “nas próximas semanas”.

Se o alto-falante for bom, o preço é sensacional, e o assistente por voz é apenas um bônus. E se funcionar bem, o Echo tem uma grande chance de vingar – mas a inteligência artificial dele ainda é uma questão em aberto.

Este é um momento importante para a equipe de hardware da Amazon. O novo e-reader Kindle Voyage é incrível, mas muito caro, e as versões mais baratas não receberam nenhuma grande inovação. O Fire Phone foi um fracasso, e a Fire TV teve um sucesso limitado pelo seu preço, mesmo sendo boa.

Com o Echo, a equipe de hardware chegou a uma área pouco explorada pela concorrência – um assistente por voz que não vive no seu celular – e isso tem alguma chance de dar certo. A Amazon está experimentando algo novo, e será interessante ver o resultado disso. [Amazon Echo]