A Amazon trabalha com música há um bom tempo. Eles têm uma loja de MP3, armazenam no Cloud Drive todas as músicas que o usuário comprar – para acessá-las de (quase) qualquer dispositivo – e até oferecem uma cópia digital de um CD para quem comprar a versão física.

No entanto, ainda faltava streaming semelhante a Spotify, Rdio ou iTunes Radio, algo que chegou hoje aos EUA: o Prime Music é um serviço sem anúncios exclusivo para assinantes do Amazon Prime, e oferece mais de um milhão de músicas para streaming e download em cache.



O Amazon Prime é uma assinatura de US$ 99 anuais que oferece frete gratuito de produtos em até dois dias e o Instant Video, serviço semelhante ao Netflix com algumas séries originais (e várias da HBO).

Agora ele ganha um serviço de streaming para música, que funciona no computador, nos novos apps Amazon Music para Android e iOS, e direto na aba Música do Kindle Fire HD e HDX. (O antigo aplicativo Amazon MP3 para iOS e Android agora será consolidado com o novo serviço.) Além de fazer streaming através de Wi-Fi ou 3G/4G, será possível baixar músicas para tocá-las offline.

Mas ao contrário do Spotify, por exemplo, o Prime Music não pretende ter um catálogo exaustivo, e sim apenas uma seleção atraente de músicas que você talvez queira ouvir. Vão faltar alguns álbuns e artistas, mas isso pode não ser o fim do mundo: o Spotify disse que, do seu catálogo de 20 milhões de músicas, 4 milhões delas não foram tocadas sequer uma vez.

amazon prime music

O que a Amazon terá? A empresa fechou contrato com 2 das 3 grandes gravadoras (Warner e Sony, mas não Universal), e também com diversas gravadoras independentes. De acordo com Steve Boom, vice-presidente da Amazon para música digital, o foco será popularidade, não em conseguir os últimos lançamentos: ou seja, você não vai necessariamente encontrar os últimos sucessos no dia que saírem, mas vai encontrar muitas das músicas que estão no Top 100.

O serviço também procurará se integrar às músicas que o usuário comprou no passado pela MP3 Store. Ela usará seus dados para fazer recomendações de música que talvez lhe interessem; e se ele comprou uma música – ou a enviou para o Cloud Player – a Amazon ajuda a adicionar o restante do álbum à sua coleção, que ele poderá ouvir via streaming.

A Amazon também contratou uma equipe de especialistas de música para fazer a curadoria de uma longa lista de playlists, com foco tanto em tema como em gênero, incluindo “Pré-Festa: R&B para ficar glamourosa” e “Caindo na estrada com as crianças”.

Por enquanto, vimos apenas uma breve demonstração do Prime Music em ação, mas a implementação parece bem familiar para qualquer pessoa que tenha usado outros serviços da Amazon. Definitivamente não é a coleção de música mais extensa que existe, mas um milhão de músicas é um catálogo respeitável, especialmente por não custar nada a mais para os assinantes do Prime.

O Prime Music, é claro, não está disponível no Brasil, mas você pode testá-lo aqui: [Amazon Prime Music]