Você provavelmente já ouviu algum caso da TIM derrubando ligações “ilimitadas”, mesmo quando não há problemas de sinal. A Anatel investigou o caso e acusa a TIM de interromper chamadas de propósito.

Segundo a Folha, a Anatel monitorou todas as ligações da TIM entre março e maio. Depois, analisou quedas nas ligações de usuários Infinity, comparando com outros planos da operadora.

O resultado: a queda nas ligações é quatro vezes maior nos planos Infinity que nos outros planos da TIM. Em um só dia, foram 8,1 milhões de ligações derrubadas. Os planos Infinity cobram por chamada, não por minuto.

A Anatel ainda acusa a TIM de manipular dados para esconder o problema de queda nas ligações. Por exemplo, se você não conseguia ligar para alguém, mas recebia uma mensagem automática avisando que o número agora estava disponível, a TIM considerava isto uma ligação feita com sucesso.

O estudo foi entregue ao Ministério Público do Paraná (MP-PR), que fez um cálculo simples: quanto a TIM ganhou a mais ao derrubar chamadas? O faturamento extra seria de R$4,3 milhões por dia.

O MP-PR, então, pede a suspensão das vendas da TIM no estado, além de indenização e ressarcimento por gastos indevidos. As medidas, se aprovadas, valeriam apenas para o Paraná.

A TIM disse à Folha que não foi notificada sobre a ação do MP-PR, mas questionou o fato de ser a única investigada, “embora os usuários de outras operadoras também estejam insatisfeitos”.

A TIM é alvo de diversas críticas e processos. Em junho, o Ministério Público do Pará exigiu indenização e proibição de vendas da TIM no Estado, devido à baixa qualidade do serviço. Em julho, a Anatel proibiu a ativação de novas linhas da TIM em 19 Estados (inclusive no Pará e Paraná), além de Claro e Oi, mas reverteu a decisão semana passada. [Folha]