A TIM investiu em grandes campanhas de marketing, em promoções impressionantes e, segundo a própria, em bastante infraestrutura. O resultado é visível: a operadora tem tudo para ultrapassar a Claro nos próximos meses e assumir o segundo lugar na disputa nacional, atrás apenas da Vivo. Mas o crescimento excessivo vem acompanhado de incontáveis reclamações sobre a qualidade do serviço, tanto em voz quanto em 3G. E a Anatel decidiu acompanhar cado passo da empresa no país.

A pressão da Anatel foi revelada hoje pelo Estadão. Segundo o jornal, uma fonte de dentro do órgão confirma que a agência prepara uma ação de fiscalização para verificar se o tanto que a operadora investe em infraestrutura é o suficiente para acompanhar o aumento da demanda — com internet pré-paga por 50 centavos diários e ligações ilimitadas em diversos planos, o aumento do tráfego é enorme. A fonte é direta ao dizer quem anda atrasando a banda no Brasil:

Há previsão de instabilidade em comunicação via celular, ponderou a fonte. Ela ressaltou, no entanto, que a TIM “fugiu da curva”. “O grande problema do setor é a TIM, que começou a apresentar sérios problemas em banda larga e em ligações”, ressaltou.

A TIM nega que exista um gargalo, mas anunciou recentemente um investimento de 1 bilhão de reais em sua rede. A operadora também diz que o crescimento só foi possível após a compra da Intelig, que tem mais de 15 mil quilômetros de fibra óptica instalada e “uma das redes mais modernas do país”. Mas as reclamações não param de aumentar — não só de nossos leitores, como na Anatel: são 0,381 reclamações por mil assinantes, ou o maior número entre todas as operadoras. [Estadão]