O Ice Cream Sandwich finalmente passou dos 10% no total dos dispositivos, segundo o próprio Google. Cerca de 64% dos usuários ainda usam Gingerbread, mas a próxima versão do Android – o Jelly Bean – chega ainda este mês.

Desde o lançamento do código-fonte, se passaram quase nove meses. E não faltam explicações, vindas tanto do Google como das fabricantes.

O Google diz que, por dentro, o Ice Cream Sandwich é muito diferente do Gingerbread, por isso a atualização demora. Matias Duarte, diretor de UX no Android, parece não se preocupar muito com o atraso: “é isso mesmo, você libera algo, e é preciso um tempo para que ele chegue a todos”. As fabricantes, por sua vez, lembram que elas precisam adaptar o ICS a diversos tipos de hardware, e têm que colocar suas personalizações nele.

Para chegar a 50% dos aparelhos, o Android 2.2 levou 6 meses. O Gingerbread levou 11 meses. Há muita demora, e com o Jelly Bean a situação deve continuar a mesma: das fabricantes, só a Samsung anunciou que trará o novo Android 4.1… para a linha Nexus. Quanto a outros aparelhos, é preciso esperar.

Ano passado, o Google prometeu garantir 18 meses de atualizações, o que nunca virou realidade nem foi mencionado novamente. Este ano, a promessa está no Kit de Desenvolvimento para Plataforma, o PDK. Ele facilita o port do Android a qualquer hardware, e será oferecido até três meses antes de um novo Android ser lançado. Isto pode reduzir um pouco a demora, mas – já que fabricantes demoram uma gestação para lançar um update – a espera deve continuar sendo longa. [Android.com e The Verge]