Como já imaginávamos, o evento de hoje da Apple revelou a nova linha de iPods da empresa. Jobs anunciou, orgulhoso, que 275 milhões de iPods já foram vendidos. E desde o minúsculo iPod Shuffle até o potente iPod touch, todos modelos foram redesenhados. Confira as novidades. Atualizado com informações da Apple Brasil.

O primeiro aparelho apresentado, o iPod Shuffle, veio como quase um pedido de desculpas. Depois da versão minimalista sem botões, a Apple entendeu que as pessoas ainda precisam de botões, e não só comandos de voz. Por isso, o pequeno espaço do aparelho tem uma sequência de botões para aumento de volume, pause e início das músicas  e também conta com o comando de voz, ou seja, a ideia é agradar todo mundo. O preço? 49 dólares. O espaço interno? 2 GB.

Atualização: A pré-venda do Shuffle já está sendo feita na Apple Store brasileira, com prazo de entrega de 1 a 2 semanas. O preço do aparelho será R$ 229.

Já o iPod nano diminuiu de vez. Depois de esticar, engordar, esticar de novo, ganhar uma tela maior, agora a Apple eliminou todo o espaço desnecessário, tornando-o uma pequena tela ambulante 46% menor e 42% mais leve, com uma minúscula moldura – na realidade, ele ficou do mesmo tamanho físico do novo Shuffle, apenas tendo uma tela sensível ao toque de diferença, o que pode causar estranheza. E para fazer essa tela ter sentido, com tão pouco espaço, só havia uma saída: adicionando multitoque ao aparelho. E essa foi a surpresa do Nano, que agora aceita gestos como no iPhone ou no iPod touch, e a navegação é feita do mesmo modo. Ele tem também apps específicos para sua telinha, como rádio FM, rádio, álbum de fotos etc. Ele terá duas versões: 8 GB (U$ 149) e 16 GB (U$ 179), e terá uma dúzia de opção de cores.

Atualização: Assim como o Shuffle, o Nano também já está em pré-venda na Apple Store daqui. Eis os preços: R$ 549 para a versão de 8 GB e R$ 649 para a versão de 16 GB.

E, claro, o carro-chefe dos iPods não poderia passar ileso, sem atualizações. O iPod touch, revelou Jobs, é o produto mais popular da companhia – antes, era o Nano. “É um iPhone sem contrato!”, brincou. E nada mais natural do que o iPod touch seguir os passos do iPhone 4. Sim, agora ele terá a tela batizada de Retina Display, processador Apple A4, giroscópio e… câmera frontal para FaceTime. iPhones 4 e iPods touches poderão conversar via vídeo, confirmando a previsão de que a Apple quer que todos seus aparelhos com iOS 4 conversem entre si, sem isolar o iPhone 4 no canto da sala. Ele já está disponível para pré-venda nos EUA, custando U$ 229 (8 GB), U$ 299 (32 GB) e U$ 399 (64 GB).

Atualização: O detalhe que me deixou curioso foi o fato de Jobs não mostrar a câmera traseira, apesar de informar que ela filma em HD. Questionei a Apple Brasil sobre a resolução da câmera e, mesmo nas informações internas, o número de megapixels ou maiores informações da câmera não foram divulgados. Ficamos no aguardo da resolução do mistério.

Todos aplaudiram, mas alguns perceberam: o que aconteceu com o iPod classic? A Apple não falou um A sobre o aparelho, que parece já ter chegado ao seu limite (160 GB) e não parece ter mais para onde evoluir. Agora, fica a dúvida: a Apple acabará com a linha? Ou manterá o aparelho de 160 GB à venda? (Ross Rubin, da NPD, disse que o aparelho só não foi atualizado e continuará à venda. A confirmar.)

iTunes 10 e Ping

Jobs também anunciou a nova versão do iTunes, que chega ao número 10, e ganha um novo logo como forma de comemoração. Mas a grande novidade foi batizada de Ping, uma rede social integrada ao novo iTunes para você e seus amigos compartilharem o que estão ouvindo – sim, o pessoal do Last.FM não deve estar muito feliz no escritório. Há um botão de conexão com o Facebook, os artistas podem criar seus próprios feeds. Mas o principal é acompanhar a atividade dos amigos e criar uma rede de trocas, além de poder opinar sobre músicas.

O sistema é parecido com o Twitter: você segue e é seguido, e pode impedir alguém de te seguir. 23 países receberão o iTunes 10 primeiro – cerca de 160 milhões de pessoas – e nós ainda não sabemos se fomos agraciados com a novidade (Atualização: não, não estamos na primeira leva de 23 países. Teremos que esperar). Parece uma aposta interessante para um programa que teve 100 milhões de filmes, 35 milhões de livros e 11,7 BILHÕES de músicas baixadas.