Apple faz caça às bruxas contra apps que compartilham localização de usuários

Em uma época em que todas empresas de tecnologia estão desesperadas para evitar que terceiros peguem dados de seus usuários, a Apple está tomando medidas contra desenvolvedores de apps que têm transmitido a localização de usuários sem o consentimento deles. A proibição da prática sempre esteve presente nas diretrizes da Apple, mas parece que só […]

Em uma época em que todas empresas de tecnologia estão desesperadas para evitar que terceiros peguem dados de seus usuários, a Apple está tomando medidas contra desenvolvedores de apps que têm transmitido a localização de usuários sem o consentimento deles. A proibição da prática sempre esteve presente nas diretrizes da Apple, mas parece que só agora a empresa está agindo de forma proativa.

22 mil pessoas concordaram limpar banheiros por acesso Wi-Fi porque elas não leram os termos
Facebook disponibilizará ferramentas de controle de privacidade da UE para todos

De acordo com o 9to5Mac, vários desenvolvedores receberam uma notificação jurídica da Apple que explica que seus apps violam as diretrizes da App Store. A parte exata é uma que diz:

Apps que coletam dados ou o consumo de dados do usuário devem ter uma política de privacidade e ter o consentimento do usuário para essa coleta…

Dados coletados de apps não podem ser usados ou compartilhados com terceiros para propósitos que não sejam a melhoria da experiência do usuário ou do desempenho de software/hardware conectados à funcionalidade do app, ou para fornecer anúncios em conformidade com o Acordo de Licença do Programa de Desenvolvedores da Apple

Use serviços de localização em seu app apenas quando for relevante para os recursos e serviços fornecidos pelo app…

Assegure-se de que você notificará e obterá consentimento antes de coletar, transmitir ou usar dados de localização.

Toda essa seção foi expandida ao longo dos anos, mas ela está dessa forma pelo menos desde 2014. O processo de revisão de apps da Apple é conhecido por ser restrito, em comparação com o de seus competidores. No passado, a empresa removeu aplicativos por violações pequenas, como incluir o termo “free” no nome e por usar um emoji customizado da Apple sem permissão. Transmitir dados de localização sem a permissão do usuário é algo sério, e surpreende que esses apps tenham passado um bom tempo fazendo isso.

O 9to5Mac cita diversas fontes que consultaram a publicação após terem recebido a notificação da Apple, e pelo menos uma pessoa tweetou uma cópia da carta que supostamente foi enviada pela Apple. A carta diz que, em um processo de “reavaliação”, concluíram que o app não estava em conformidade com as diretrizes da companhia e que uma versão deverá ser novamente enviada à loja de apps.

A medida começa a ser aplicada com a proximidade da implementação do GDPR (Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados) — proteções de privacidade estipuladas pela União Europeia e que começam a valer a partir de 25 de maio. Basicamente, com a lei, empresas de tecnologia terão de dar aos usuários mais controle sobre dados e obter consentimento deles em mais situações. Embora a nova lei só se aplique à União Europeia, muitas companhias têm expandido as regras para outros países.

O Gizmodo entrou em contato com a Apple para um comentário sobre o que levou a essa “reavaliação” repentina de apps. No entanto, não obtivemos ainda uma resposta. Atualizaremos se tivermos um retorno.

[9to5Mac]

Sair da versão mobile