No Android, os apps são na maioria gratuitos – 72%, segundo a Distimo. Para remunerar o esforço de desenvolvê-los, o jeito é colocar propagandas. Mas a AppBrain nos alerta de uma tendência preocupante: dos apps com propaganda, 15% colocam anúncios na barra de notificações, e 11% colocam ícones de propaganda na tela inicial.

A AppBrain analisou 140.000 apps do Google Play, e constatou que cerca de metade dos apps gratuitos “usam uma ou mais redes de propaganda”. A mais popular, claro, é a AdMob do Google, com 39% de participação.



O problema é que, dos apps com propaganda, 12% usam alguma forma agressiva de anúncio. Segundo o AppBrain:

Infelizmente, há também diversas formas mais agressivas de propaganda no Android que podem ser colocadas em apps, e nós a vemos ocorrendo em mais e mais casos. Estas novas formas de propaganda colocam anúncios na barra de notificações do dispositivo mesmo quando você não usa o app com propaganda, ou novos ícones são adicionados sorrateiramente à tela inicial. Estes anúncios levam a uma experiência de usuário pior, e portanto estas redes tentam atrair o máximo possível de desenvolvedores com marketing agressivo e promessas de receita alta.

“Mas eu nunca vi propaganda assim!”, você pode dizer. Sim, se você só usa apps populares e de grandes desenvolvedores, é provável: eles usam mais propagandas em banner – a forma mais comum (70%) – ou as integram no conteúdo do app (como Twitter e Facebook). Mas entre desenvolvedores pequenos, ansiosos para rentabilizar seus apps, podem surgir anúncios mais invasivos.

No Android, cobrar por apps é uma opção difícil: a disposição a pagar é bem menor que em outras plataformas. O próprio Andy Rubin, chefe do Android no Google, já considerou o “baixo índice de compras de apps” como um dos problemas da plataforma. Mas já vimos que as propagandas em apps são culpadas por sugar sua bateria. Será que não vale a pena gastar um pouquinho em troca de aplicativos e uma experiência melhor?

Vale lembrar que o AppBrain tem uma rede própria de propagandas, o que serve de ressalva para a pesquisa. Eles também têm um app gratuito que verifica se seus apps usam técnicas agressivas nos anúncios, e recomenda a remoção deles. [AppBrain via Twitter]