A Apple acabou de comprar uma pequena empresa da qual você provavelmente nunca ouviu falar. Ela se chama Matcha.tv. Por que isso é importante? Porque ela pode, talvez, revelar como a Apple enxerga o futuro da Apple TV: um oásis livre de canais onde não importa qual serviço você use para ver seu programa de TV favorito – contanto que seja através de uma Apple TV.

O Matcha.tv era uma ferramenta de descoberta de vídeos especializada em indicar aos usuários qual serviço de vídeos tinha quais programas. Digamos que você queira ver Breaking Bad; o Matcha.tv lhe diria que a série está disponível para streaming no Netflix, para compra na iTunes Store, em um canal de TV a cabo, e por aí vai.

Se você quisesse ver outro programa, ele poderia te levar ao Hulu ou à Amazon Video ou a algum canal a cabo. Basicamente, para qualquer programa ou filme que você quisesse ver, o Matcha mostraria quais serviços de streaming e lojas virtuais teriam o item desejado.

Se isso soa familiar, é porque o Xbox e outros serviços já têm algum mecanismo que faz coisa parecida. Você fala para o Kinect sobre o programa que quer ver e ele devolve tudo o que for relacionado a ele, de diversas fontes. Se a Apple implementar as funções do Matcha.tv à Apple TV, ela poderia funcionar de um jeito muito parecido.

Em vez de você mesmo pesquisar no Netflix ou no Hulu para encontrar o que deseja, você pode pesquisar (talvez com a Siri?) usando a interface da Apple – baseada na inteligência do Matcha – para conseguir esses resultados. A Apple TV se tornaria um guia universal para várias coisas (e poderia ir além se a Apple encontrar uma forma de lidar com canais a la carte). Na medida em que mais conteúdo chega à Apple TV, esta pode ser uma forma de a Apple organizá-lo.

Claro, encarar as aquisições da Apple como um sinal do que vem a seguir é puro exercício de futurologia. Talvez a aquisição do Matcha.tv se converterá apenas em um guia de canais para o iPhone. Ou foi apenas negócios. Talvez a empresa tenha sido comprada para resultar em nada sob as asas da Apple. Mas a força do Matcha.tv faz muito sentido se aplicada à Apple TV. [VentureBeat]