Em vez de competir com o iPad lançando um só tablet bem trabalhado, a Archos espera que um dos seus cinco novos dispositivos móveis sejam do agrado de alguém. A linha vai de 2,8 a 10,1 polegadas – se bem que os aparelhos menores não são exatamente concorrentes.

Os modelos Archos 28 e 32 – com telas de 2,8" e 3,2" e custando US$100 e US$150, respectivamente – parecem mais players portáteis turbinados que concorrentes de tablets; eles são notáveis apenas pelo processador de 800MHz. O próximo aparelho é o Archos 43, a US$200, com processador de 1GHz e espremendo 854×480 pixels em uma touchscreen resistiva de 4,3".

Os dois últimos produtos são os mais interessantes. A US$275, o tablet de 7" tem touchscreen capacitiva (assim como o iPad) com resolução 800×480, oferece saída HDMI, armazenamento em MicroSD, e reconhece diversos formatos de arquivo, como FLV e MKV. Por mais US$25, você leva o modelo de 10,1" com resolução 1024×600.

A linha em geral não tem muita coisa relevante, exceto rodar Froyo direto da caixa e preços decentes – para efeito de comparação, o iPad mais barato custa US$499. Mas telas resistivas nos três pseudotablets menores, além da ausência de apps do Google e ausência de acesso ao Android Market em todos eles significam que muitos provavelmente nem vão querer esta linha de tablets da Archos. [Archos via CrunchGear]