Você já visitou o novo Architizer? Sentiu-se um pouco perdido nas referências arquitetônicas: Art Déco, Modernismo, Paramétrico? Nós temos uma solução que talvez seja fácil e divertida, principalmente se você curte cinema. Para seu deleite e conhecimento arquitetônico, pegamos todos os filmes que ajudam a exemplificar estilos de arquitetura moderna — da Art Nouveau da virada do século até os designs digitais atuais. Pegue a sua pipoca e confira a lista abaixo.


Futurismo (1909-1914) + O Quinto Elemento (1997)

O Quinto Elemento

Os densos arranha-céus e o ágil (e até perigoso) sistema de transporte de O Quinto Elemento ecoam as aspirações urbanísticas dos Futuristas. Foto via scifiinterfaces.wordpress.com

Embora os prédios de O Quinto Elemento pareçam ter um estilo eclético único, não há dúvida de que a Nova York do século XXIII é o sonho de qualquer Futurista transformado em realidade. O filme é situado em um futuro distante e conta a clássica história do bem contra o mal com doses generosas de comédia, romance e esquisitices sci-fi. A cena de abertura do filme (após um breve flashback a 1914) acontece em Nova York, uma cidade que cresceu e chegou a proporções titânicas. Carros voadores rasgam o céu, se espremendo no meio dos arranha-céus. Várias passarelas conectam essas estruturas imensas, dando a sensação de que a cidade esbanja movimento por dentro e por fora.

Futurismo

O arquiteto Antonio Sant’Elia (1888 – 1916) também previu torres e formas interconectadas que uma sociedade Futurista habitaria. Foto: TintoMeches via en.wikipedia.org

A Nova York de O Quinto Elemento é a imagem perfeita de como os Futuristas queriam que fosse o futuro. Como a Art Nouveau demonstrou, a virada do século foi uma época de experimentação para a arquitetura. Os Futuristas (inicialmente todos italianos) eram obcecados por fábricas, barulho, velocidade, violência e perigo. Essas ideias incorporam todos os aspectos mais empolgantes da nova era de máquinas que eles começavam a experimentar. A eletricidade, o motor de combustão interna e outros avanços convenceram os italianos de que o futuro seria acelerado, industrializado e arrojado.


Arquitetura Fascista (aprox. 1922-1942) + Equilibrium (2002)

Equilibrium

Equilibrium foi originalmente filmado em Berlim para fazer uso da antiga arquitetura Fascista. Foto: wallpapersus.com

A arquitetura Fascista não é fácil para os olhos e seu efeito em Equilibrium não é exceção. O filme mostra Christian Bale como um capanga de elite em um estado Orwelliano que baniu as emoções e que demanda total obediência dos seus cidadãos. Seu personagem luta em uma cidade com ares de fortaleza construída nas ruínas de uma metrópoles devastada pela guerra. O filme foi rodado em Berlim para fazer uso dos seus prédios decrépitos da Alemanha Oriental, bem como do que sobrou da arquitetura Fascista do regime Nazista dos anos 1930 e 1940. Esta arquitetura é construída em escala desumana, com poucos ornamentos, e projetada com simetria e regularidade opressivas.

Palazzo

O Palazzo della Civiltà Italiana foi finalizado em 1943 embora tenha sido planejado para uma exibição mundial de 1942 em Roma. Foto: Blackcat via it.wikimedia.org

É difícil deixar passar a mensagem das formas austeras endossadas pelos líderes Fascistas: o estado é a força dominante em todas as faces da vida pública e privada. A arquitetura Fascista foi mais proeminente na Itália e na Alemanha, com Benito Mussolini sendo o primeiro a chegar ao poder em 1922. A arquitetura Fascista na Itália nasceu da complexa reconciliação entre a arquitetura do racionalismo moderno (pense: materiais modernos como aço, vidro etc) com a arquitetura clássica grega e romana. O estilo resultante manifesta-se em prédios como o Palazzo (acima), que ecoa o Coliseu mas com simetria retilínea e superfícies nuas. A Alemanha Nazista também adotou um classicismo cruel que tinha por objetivo demonstrar a força e a estabilidade do partido Nazista. Os dois países, especialmente a Alemanha, instauraram a arquitetura Fascista em uma escala imponente, capaz de abrigar gigantescos comícios políticos.


Modernismo (começo do século XX – hoje) + Playtime — Tempo de Diversão

Playtime

Playtime pega um ângulo bem humorado de um mundo de design, arquitetura e outros detalhes modernistas. Imagem via patchofyellowwall.files.wordpress.com

Sempre teve vontade de estar em um mundo de pura vida modernista? Então Playtime, de Jacques Tati, talvez seja o que você precisa. O filme praticamente não tem diálogos, confiando, em vez disso, em situações engraçadas e comédia pastelão para mostrar os absurdos do mundo moderno. Tati construiu um estúdio de fimagens enorme que incluía um aeroporto, escritórios, um centro de convenções, apartamentos, um jardim real e um “carrossel de carros” (todos imaculadamente modernistas, claro). O minimalismo clean da moderna cidade europeia desmente suas profundas irracionalidades, que Tati destaca para efeitos de comédia com muita esperteza.

Mies Van der Rohe

O 860-880 Lake Shore Drive, de Mies Van der Rohe, construído em 1949, em Chicago, Illinois. Imagem: ThatOneGuy via skyscrapercity.com

A ideia de arquitetura modernista se estende pelos últimos cem anos e agrega uma ampla gama de arquitetos e estilos arquitetônicos. Dito isso, “modernismo” geralmente se refere ao minimalismo e ao uso de materiais modernos como representado pelo arquiteto Mies Van der Rohe. Embora ele tenha muitos contemporâneos que podem ser chamados arquitetos modernos (Le Corbusier, Oscar Niemeyer, Louis Kahn e Buckminster Fuller, para citar alguns), foi o estilo racional e envidraçado de Mies que capturou o termo “modernismo” do vocabulário popular. Sua abordagem em relação ao design (“menos é mais”) tem raízes na arte da construção, focando nos detalhes da fachada e estrutura de um prédio.

Continue lendo no Architizer