Cinetistas da Universidade de Colúmbia estão desenvolvendo uma espécie de árvore sintética, cujo objetivo é captar cerca de 1000 vezes mais dióxido de carbono que as versões orgânicas. Eles até esperam implementar a tecnologia em carros e aviões, grandes emissores de CO2.

As versões de demonstração já existentes (isto não é um conceito) retiram CO2 do ar e o transformam em líquido, forma muito melhor de armazenar e gerenciar. O professor Klaus Lackner, principal desenvolvedor da tecnologia, lembra que as árvores sintéticas não têm o objetivo de substituir, digamos, planos das próprias empresas (como minas de carvão) de reduzir sua emissão de CO2. Mas esta pode ser uma planta de plástico extremamente útil se for produzida em massa. [CNN]