Ultimamente, parece que a Atari tem colocado seu foco em duas grandes estratégias: financiamento coletivo e promoção de produtos que não existem. Então, faz completamente sentido que a empresa esteja supostamente entrando no campo das criptomoedas, com sua própria moeda, a Atari Token.

• Como a corrida por criptomoedas está interferindo em nossa busca por vida extraterrestre
• Novos detalhes do Ataribox não o tornam mais interessante

Já virou lugar-comum que empresas em dificuldade cooptem pelo interesse desenfreado em criptomoedas para animar investidores e ao menos passar a aparência de serem modernas. Recentemente, a Kodak colocou seu nome em uma iniciativa de blockchain que parece muito mal concebida.

No início deste mês, Fred Chesnais, CEO da Atari Game Partners, se gabou para a Polygon de que a nova liderança da empresa havia a resgatado da beira da falência nos últimos anos. “Tínhamos € 30 milhões de perda. € 35 milhões de dívidas”, disse. “Hoje? Nenhuma dívida mais. Somos rentáveis.” Isso significaria que a Atari não está exatamente na posição desesperada em que a Kodak tem estado no último ano, mas ela ainda etá se atirando em direção à terra das ofertas iniciais de moeda apoiadas por empresas.

O anúncio desta quinta-feira (15) não tem muitos detalhes. Assim noticia a Bloomberg:

As ações da empresa com sede em Paris subiram mais de 60% desde que revelou mais detalhes sobre sua empreitada em criptomoedas em 8 de fevereiro, depois de mencionar alguns dos planos pela primeira vez em dezembro. A Atari está tomando uma participação em uma empresa que está construindo uma plataforma de entretenimento digital no blockchain e, como parte do acordo, vai criar seu própria criptomoeda, chamada Atari Token. A empresa também vai expandir sua parceria de jogos de cassino online com a Pariplay Ltd. para permitir apostas com moedas digitais.

Pedimos mais informações à Atari sobre o que estão planejando e vamos atualizar este post quando recebermos uma resposta. Por enquanto, tudo o que temos é esse comunicado de imprensa da holding Atari SA. Chesnais é citado no comunicado dizendo:

A tecnologia de blockchain está preparada para assumir um lugar muito importante em nosso ambiente e para transformar, se não revolucionar, o ecossistema econômico atual, especialmente nas áreas da indústria do videogame e das transações online. Considerando nossos pontos fortes tecnológicos com os estúdios de desenvolvimento e com a reputação global da marca Atari, temos a oportunidade de nos posicionar de forma atrativa nesse setor. Nosso objetivo é assumir posições estratégicas com um risco de caixa limitado, para otimizar os ativos e a marca Atari.

Lendo as entrelinhas, de fato parece que a Atari está planejando algo parecido com a agora adiada oferta inicial de moeda da Kodak, a KodakCoin. A Kodak está, principalmente, fazendo parceria com uma empresa separada que está lidando com os detalhes enquanto ela assume uma porcentagens dos lucros pelo uso de seu nome. Licenciar seus jogos antigos para outras empresas e colocar seus nomes em produtos como esse chapéu idiota é basicamente tudo que a Atari faz agora.

Mas ela tem feito barulho desde o ano passado, com novas iniciativas que têm sido atadas a crowdsourcing. Mais notavelmente, um console nostálgico chamado de Ataribox foi anunciado em julho, com pouco a se mostrar, exceto por algumas renderizações bonitinhas. Na esteira do enorme sucesso da Nintendo com dois relançamentos de console vintage, o conceito do Ataribox pareceu promissor. Mas então ficamos sabendo de algumas das especificações e, mais importante, do preço.

A Atari está focada em fazer uma espécie de set-top box de streaming com alguns clássicos e jogos independentes de Atari, buscando cobrar algo em torno de US$ 250 a US$ 300. Uma campanha na Indiegogo que está por vir para financiar a fabricação inicial foi anunciada, e a data de lançamento, determinada como “primavera de 2018”. Em dezembro, esses planos foram adiados, e não ouvimos mais nada desde então.

No início deste mês, a empresa ganhou manchetes com sua campanha de crowdfunding para levar o Rollercoaster Tycoon ao Nintendo Switch. Dessa vez, está sendo por meio de uma nova organização chamada StartEngine, uma plataforma de financiamento coletivo feita por Howard Marks, cofundador da Activision. A campanha do Rollercoaster Tycoon depende de um modelo mais complicado que dá aos contribuidores uma parcela de equidade nos lucros do jogo.

E, agora, parece que a Atari está indo em outra direção de crowdfunding, com uma oferta inicial de moeda. Talvez funcione. Porém, agora, parece que a Atari é boa em bolar ideias malucas para se financiar e ruim em entregar essas promessas. Ela mantém a comunicação corporativa a um mínimo, e o Ataribox parece um vaporware bonito e caro demais. O mundo das ICOs está cheio de piadas e golpes, mas, até agora, muitas delas são piadas e golpes rentáveis. Na semana passada, o preço da ação da Atari quase dobrou.

[Atari via Bloomberg]