Ativistas usam anúncios para burlar firewall e dar notícias da guerra

Para barrar fake news, ativistas estão explorando brechas para informar a população civil da Rússia sobre a realidade da guerra na Ucrânia. Vale até usar os reviews do Google Maps
Ativistas usam anúncios para burlar firewall e dar notícias da guerra

Enquanto o governo da Rússia tenta espalhar desinformação e abafar a cobertura jornalística da invasão na Ucrânia, ativistas digitais do mundo todo estão buscando meios criativos para levar informação sobre a guerra à população civil russa.

Na Rússia, autoridades têm bloqueado sites ocidentais, como o Facebook, por exemplo, além de proibir que veículos russos mencionem a palavra “guerra”. Após 12 dias de conflito, o presidente Vladimir Putin ainda vende a ideia de um movimento defensivo em meio a uma “operação militar especial”, deixando a população russa no escuro sobre o que realmente está acontecendo no país invadido.

Para burlar esse “firewall russo”, ativistas estão explorando várias brechas na internet. Um dos meios utilizados é a veiculação de anúncios pagos e segmentados, que direcionam os usuários russos para fontes de notícias independentes, em língua russa, sobre o conflito na Ucrânia. Os anúncios incluem vídeos de soldados russos capturados por ucranianos, além de textos informando sobre a realidade da guerra.

Notícias da guerra no Google Maps

Na última semana, o pesquisador britânico Max Fras sugeriu outra maneira criativa de levar informação para os russos. A ideia sugerida é entrar em ferramentas como o Google Maps, Apple Maps ou Yandex Maps, encontrar um estabelecimento russo — como restaurante, escola, estação de trem, loja ou caixa eletrônico — e usar o campo de avaliação para informar o que está acontecendo na Ucrânia, especialmente com a população civil.

Na guerra contra a desinformação, até o aplicativo da rede de farmácias russa Ozerki foi usado. Na última semana, usuários receberam uma notificação push dizendo-lhes para “acordar”, afirmando que Putin está usando o dinheiro da população russa para enviar seus compatriotas para a guerra. Segundo o site Technology Review, a rede afirmou ter sido alvo de um ataque hacker.

Já uma agência de webdesign alemã disponibilizou no GitHub um código que — ao ser incluído em qualquer página russa na internet — informará aos usuários que o governo local está mentindo, e que pessoas e crianças inocentes estão morrendo na Ucrânia.

Todas essas ações seguem o raciocínio de que uma das maneiras de acabar com a guerra na Ucrânia é fazer a população russa se voltar contra Putin, minando a deturpada narrativa oficial do Kremlin.

Hemerson Brandão

Hemerson Brandão

Hemerson é jornalista, escreve sobre espaço, tecnologia e, às vezes, sobre outros temas da cultura nerd. Ele também é grande entusiasta de astronomia, interessado em exploração espacial e fã de Star Trek.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas