O governo do estado de New South Wales, na Austrália, está implementando uma tecnologia para capturar automaticamente motoristas que não largam seus celulares na estrada, informou a agência de notícias Associated Press na segunda-feira (23).

De acordo com a AP, o Ministro do Transporte e Estradas de New South Wales, Andrew Constance, descreveu o programa como o primeiro do gênero no mundo. Constance disse à Australian Broadcasting Corp que “Não há dúvida de que dirigir alcoolizado, no que me diz respeito, é parecido com o uso de telefones celulares, e é por isso que queremos que todos estejam cientes de que serão pegos fazendo isso a qualquer momento, em qualquer lugar”.

O plano envolve o uso de “câmeras de detecção de celular”, de acordo com a AP, 45 das quais o governo planeja lançar em dezembro de 2019. O sistema conta com duas câmeras, sendo que uma fotografa as placas dos carros e outra que determina o que os motoristas estão fazendo com as mãos. A AP escreveu que a “inteligência artificial” será usada para restringir a amostra para aqueles que usam seus telefones enquanto dirigem, mas que os humanos terão que verificar as fotos antes que uma multa de US$ 232 seja enviada:

As unidades usam inteligência artificial para excluir motoristas que não estão tocando em seus telefones. Fotos que mostram suspeita de comportamento ilegal são encaminhadas para verificação por olhos humanos antes que um aviso de infração seja enviado ao proprietário registrado do veículo, juntamente com uma multa de 344 dólares australianos (US$ 232). Algumas câmeras serão fixadas permanentemente nas margens das estradas e outras serão colocadas em trailers e transitarão pelo estado.

Para contexto, New South Wales é onde Sydney, uma das principais cidades australianas, está localizada e é a região mais populosa do país, com o governo de NSW estimando a população em 7,95 milhões em março de 2018. Portanto, essa política poderia afetar bastante motoristas.

Dirigir distraído é um grande problema; nos EUA, a Administração Nacional de Segurança no Trânsito nas Rodovias diz que 3.166 pessoas morreram em 2017 como resultado de motoristas que não estavam prestando atenção à estrada. A Austrália é muito mais rigorosa quanto a esse assunto do que em grande parte dos EUA, onde as leis estaduais variam de restrições ao uso de telefones celulares a proibições gerais de todos os dispositivos portáteis enquanto estiver dirigindo.

Autoridades australianas disseram à AP que um teste anterior de seis meses do sistema verificou 8,5 milhões de veículos e identificou mais de 100.000 violadores (um dos quais estava usando um telefone e um iPad ao mesmo tempo). Enquanto isso, a polícia pegou apenas 16.500 pessoas até agora este ano por violações semelhantes.

As 45 câmeras, que incluem unidades portáteis, custarão cerca de 88 milhões de dólares. O governo disse que permitirá exceções para o uso de alguns telefones enquanto estiver dirigindo, como colocá-lo em um suporte que deixe as mãos livres, usá-lo através de Bluetooth, passar dispositivos para passageiros e situações como filas de restaurantes drive-through. No entanto, a AP observou que os motoristas nos semáforos e nos engarrafamentos ainda estarão sujeitos a multas.

O Ministro de Estradas Regionais da NSW, Paul Toole, disse à ABC: “A modelagem independente mostrou que essas câmeras podem evitar cerca de 100 acidentes fatais e graves ao longo de cinco anos”.

A Associação Nacional de Estradas e Motoristas argumentou que o governo deveria ser transparente sobre o lançamento das câmeras, como postando placas avisando que os motoristas podem ser monitorados. Mas Constance disse à ABC que a surpresa faz parte da ideia.

“Infelizmente, precisamos usar o elemento surpresa para fazer as pessoas pensarem ‘bem, eu poderia ser pego a qualquer momento'”, disse Constance à rede. “Quero que o comportamento mude e mude imediatamente. Não se trata de arrecadar dinheiro com as multas, mas de salvar vidas”.