Se você visitar o Havaí entre janeiro e abril, provavelmente verá baleias jubarte com seus filhotes vagando pelo oceano. Nessa época, as gigantes migram do Alasca e da Columbia Britânica, no Canadá, para criar seus pequenos em águas mais quentinhas. 

Até então, era comum que as baleias permanecessem próximas à costa para evitar o ataque de tubarões, jubartes machos e outras ameaças. Mas a presença humana parece estar mudando esse cenário. 

Um estudo publicado na revista científica Marine Mammal Science sugere que os animais estão se afastando da costa devido ao aumento do tráfego de embarcações. Cientistas da Universidade do Havaí acreditam que os sons emitidos pelos veículos são muito altos, o que interfere na comunicação das baleias e perturba as mães que estão com seus filhotes. 

Os pesquisadores observaram cerca de 161 jubartes com filhotes na região de Maui. Elas surgiam na costa durante o período da manhã, mas migravam para as águas profundas durante o dia. Embarcações voltadas para a observação de baleias pareciam não incomodar os animais, que fugiam após a chegada em grande quantidade de barcos de pesca ou de passeio. 

Durante o período em que estão em águas quentes, as jubartes seguem amamentando seus filhotes, mas não se alimentam. Por isso, é essencial que elas conservem energia, o que acaba ficando mais complicado quando as gigantes precisam fugir para as profundezas do oceano e enfrentar o ataque de machos e predadores.

A criação de políticas de tráfego de embarcações poderia ajudar a reduzir o estresse das baleias jubarte. Agora, os cientistas pretendem estudar o cenário em outras partes do Havaí para entender a dimensão do problema.