Nos primórdios do Windows, para fazer logon era exibida uma combinação de teclas: o famigerado Ctrl + Alt + Del. Décadas depois da introdução do comando no sistema desktop mais usado do mundo, Bill Gates, co-fundador da Microsoft, disse em público que essa ideia foi ruim. E colocou a culpa na IBM.

Em uma entrevista para uma campanha de arrecadação de fundos em Harvard, Gates disse que o mecanismo foi criado para evitar que outros aplicativos se passassem pela tela de logon e roubassem as credenciais do usuário.



Embora a maioria talvez conheça o Ctrl + Alt + Del como um atalho para o Gerenciador de tarefas, em sistemas antigos (NT 4.0, por exemplo) ela servia para habilitar a tela de logon. Até hoje o Windows guarda resquícios dessa época, embora não mais como padrão — se quiser habilitá-lo em seu moderníssimo Windows 8, siga esses passos.

Era uma preocupação válida para a época, e justificava essa etapa extra para ter acesso ao sistema, mas por que três botões? De acordo com Gates, porque a IBM, que na época reinava nos computadores e definia padrões, não quis dedicar um botão exclusivo no layout do seu teclado para essa ação. Disse Gates:

“Foi um erro. Poderíamos ter apenas um botão, mas o cara que fez o projeto do teclado IBM não quis nos dar esse único botão.”

Um dos “caras que fizeram o projeto” se chama David Bradley. No faz muito tempo ele disse que apesar de ter inventado a combinação Ctrl + Alt + Del, originalmente destinada a reiniciar o sistema, foi Gates quem a tornou famosa.

Ainda hoje se fala em Ctrl + Alt + Del para matar processos, mas desde o Windows Vista esse atalho abre um menu de ações rápidas dentre as quais se encontra o Gerenciador de tarefas. Uma outra combinação, Ctrl + Shift + Esc, dá acesso direto a ele.

O trecho da entrevista em que Gates comenta, bem humorado, essa passagem, pode ser visto no link ao lado. [YouTube via The Verge