Quando o Gmail foi lançado em 2004, um dos grandes diferenciais era que ele dava dois gigabytes um gigabyte de espaço de graça, o que era absurdamente mais do que a concorrência oferecia. Em um novo livro, o jornalista de tecnologia Steven Levy fala sobre a época logo depois do lançamento do Gmail, quando ele falou com Bill Gates sobre o serviço. Gates estava perplexo e não conseguia entender porque o Google estava oferecendo tanto espaço de graça:

“Por que você precisaria de mais de um giga?”, perguntou o cofundador da Microsoft, de acordo com Levy. “O que você tem dentro deles? Filmes? Apresentações de PowerPoint?”

No livro In The Plex: How Google Thinks, Works, and Shapes Our Lives (Como o Google Pensa, Trabalha, e Molda Nossas Vidas, em tradução livre), Levy conta ainda que Gates lhe fez ainda mais perguntas. “Quantas mensagens há nele?”, ele perguntou, segundo Levy. “Sério, estou tentando entender se é o número de mensagens ou o tamanho das mensagens.” Levy escreve que “depois de fazer as contas de cabeça, [Gates] chegou à conclusão de que o Google estava fazendo algo errado”.

Pode parecer que Gates cometeu o mesmo erro do passado, quando supostamente disse em 1981 que “640K de memória devem ser o bastante para todo mundo”. Esta afirmação, no entanto, é falsamente atribuída a Bill Gates, de acordo com a Wired. Então tome cuidado ao citá-la.

A ideia de nunca deletar email ou não usar um cliente desktop era um conceito estranho a Gates, ao que parece. Hoje, o Gmail oferece mais de 7GB de espaço gratuito para cada conta (1,5GB dos quais eu estou usando), e todos os outros serviços de email fizeram o mesmo, oferecendo gigabytes ou até espaço ilimitado nas caixas de entrada.

O livro In The Plex já está disponível na Amazon por US$14. [Huffington Post]

Foto por World Economic Forum/Flickr