A biografia autorizada de Steve Jobs, a ser lançada mundialmente em 21 de novembro – inclusive no Brasil, através da Companhia das Letras – foi escrita por Walter Isaacson, conhecido biografista que recebeu bastante liberdade de Jobs para escrever o livro. São 40 entrevistas feitas com Jobs ao longo de dois anos, além de “entrevistas com mais de cem familiares, amigos, colegas, adversários e concorrentes”.

Segundo o comunicado à imprensa, Jobs não pediu nenhum tipo de controle sobre a biografia, nem mesmo o direito de ler o livro antes de ser publicado. Jobs diz: “Fiz muitas coisas que não acho louváveis, como ter engravidado minha namorada aos 23 anos de idade e a maneira como encaminhei a questão. Mas não tenho nenhum segredo na minha vida que não possa ser divulgado.”

Felizmente, Isaacson trocou o título de “iSteve: The Book of Jobs” para apenas “Steve Jobs: A Biography”. (No Brasil, ainda não foi revelado qual será o título.) Nos EUA, o livro já está em pré-venda por US$20,40 na Barnes & Noble. [Barnes & Noble via All Things D via 9to5Mac]

Única biografia autorizada de Steve Jobs será lançada em novembro

De Walter Isaacson, autor das famosas biografias de Benjamin Franklin e de Albert Einstein, esta é a biografia exclusiva de Steve Jobs, da Apple, escrita com sua plena cooperação.

O livro, baseado em mais de quarenta entrevistas com Jobs ao longo de dois anos ? e entrevistas com mais de cem familiares, amigos, colegas, adversários e concorrentes ?, narra a vida atribulada e fascinante do empresário extremamente inventivo e de personalidade forte e polêmica, cuja paixão pela perfeição e cuja energia indomável revolucionaram seis grandes indústrias: a computação pessoal, o cinema de animação, a música, a telefonia celular, a computação em tablet e a edição digital.

Numa época em que as sociedades de todo o mundo tentam construir uma economia da era digital, Jobs se destaca como o símbolo máximo da criatividade e da imaginação aplicada à prática.

Embora tenha cooperado com esta obra, Jobs não pediu nenhum tipo de controle sobre o conteúdo, nem mesmo o direito de lê-lo antes de ser publicado. Não estabeleceu nenhum limite: pelo contrário, incentivou seus conhecidos a falarem com franqueza. “Fiz muitas coisas que não acho louváveis, como ter engravidado minha namorada aos 23 anos de idade e a maneira como encaminhei a questão”, disse ele. “Mas não tenho nenhum segredo na minha vida que não possa ser divulgado.”

Jobs fala com franqueza, e às vezes com brutalidade, sobre os companheiros de trabalho e os concorrentes. Da mesma forma, seus amigos, inimigos e colegas apresentam um painel com as paixões, os demônios, o perfeccionismo, os desejos, o talento artístico, as manias e a obsessão controladora que formaram sua atitude empresarial e os produtos inovadores que criou.

Jobs é capaz de levar à fúria e ao desespero quem está perto dele. Mas a personalidade e os produtos, assim como um hardware e um software da Apple, estão unidos num mesmo sistema integrado. Sua história é ao mesmo tempo uma lição e uma advertência, e ilustra a capacidade de inovação e de liderança, o caráter e os valores de um homem que ajudou a construir o futuro.

O livro tem lançamento mundial marcado para 21 de novembro, e será publicado no Brasil pela Companhia das Letras.

——-

Walter Isaacson, diretor-geral do Instituto Aspen, foi presidente da CNN e editor da revista Time. É autor de Einstein: Sua vida, seu universo, Benjamin Franklin: An American Life, e de Kissinger: A Biography, e coautor, com Evan Thomas, deThe Wise Men: Six Friends and the World They Made. Mora com a esposa em Washington, D.C.