A Black Friday acontece sempre no final de novembro, mas este ano, a B2W – empresa responsável pelo Submarino, Americanas e Shoptime – resolveu fazer uma prévia na noite de ontem, prometendo até 80% de desconto.

Infelizmente, a Black Night cometeu os mesmos erros do passado. Sites com instabilidade? Teve. Preços na verdade mais caros que na concorrência? Teve também. O Procon-SP já notificou as empresas para darem explicações.

A Black Night começou às 22h, e muitos usuários reclamaram no Twitter que os sites do Submarino e Americanas ficaram instáveis ou fora do ar, provavelmente devido ao enorme número de acessos.

No Reclame Aqui, já são quase 400 reclamações sobre a Black Night. Diversas pessoas dizem que tentaram fazer compras pelo site, mas era quase impossível: ou demorava a carregar, ou aparecia no carrinho o preço sem desconto, ou o produto já era dado como esgotado.

Além disso, alguns preços “com desconto” na verdade eram os mesmos da concorrência, ou até mais caros:

Por isso, sem surpresa, o Procon-SP notificou a B2W para ela se explicar: por que a instabilidade nos sites, mesmo sabendo que a demanda seria grande? Quantos consumidores foram afetados pela falha? Quais providências foram adotadas para resolver o problema? E como ficam os clientes que tentaram comprar, mas não conseguiram?

A Black Friday se tornou uma nova tradição no e-commerce brasileiro. No entanto, as mesmas falhas também acontecem ano após ano. Espero que a Black Night sirva de lição para que isso não se repita em 29 de novembro – mas se as lojas não aprenderam até agora, difícil imaginar o que mudaria até lá.

A B2W não comenta a notificação do Procon, nem os problemas da Black Night. [Procon via Tecnoblog]