O smartphone, guardado no bolso do peito, adicionou a espessura que fez a diferença entre cair mais 200 metros e esperar duas horas por um helicóptero de resgate.
  
Embora Fitzherbert não tenha saído ileso – sofreu hipotermia, quebrou a mandíbula e quase perdeu o nariz, entre outros problemas –, ele conseguiu ligar do hospital para a sua esposa… usando o mesmo telefone que salvou a sua vida. [The Sun; valeu, gitemstevedave!]