Há cerca de um ano, o Bradesco inaugurava o app F.Banking, que permite acessar sua conta corrente ou poupança através do Facebook. Ele não fazia muito sentido na época, mas cresceu desde então – e agora permite até contratar empréstimos.

Trata-se de contratar o limite de crédito pré-aprovado; quem não tiver esse limite pode preencher uma proposta e enviá-la ao banco.

O F.Banking também permite consultar investimentos, transferir dinheiro entre contas do banco, pagar boletos, e inserir recarga no celular.

Desde o início, o Bradesco dizia que “a ideia é que o app do Facebook tenha todos os serviços do internet banking”. Então por que não acessar direto o site do banco?

Talvez um dos motivos seja a simplicidade, tanto do acesso como de uso. Há quem passe quase o dia todo no Facebook, então fica mais fácil acessar o netbanking através da rede social. Além disso, o F.Banking oferece uma interface bem mais simples que a do netbanking (imagem acima) – então mesmo leigos podem usá-lo sem ficarem intimidados.

No entanto, usar o F.Banking requer chave de segurança: é um código presente em um cartão adicional (ou token) que você precisa pedir ao banco. Esta é uma medida adicional de segurança, mas que talvez iniba o uso do app. Ele recebe 4.000 usuários por mês, segundo o Facebook; o banco tem quase 73 milhões de clientes.

Mas o app é seguro? O Bradesco esclarece que o F.Banking usa ambiente de segurança do próprio banco – não do Facebook – então não deve haver problema. E se você estava preocupado em ver algo como “Fulando contratou um empréstimo!” ou “Beltrano transferiu R$ 50 para a conta X!” no seu feed, não se preocupe: ninguém saberá que você usa o app.

O F.Banking faz parte da estratégia do banco de estar presente em toda plataforma: eles têm app para iOS, Android, Windows Phone, Windows 8 – até para Smart TVs. Mas a presença no Facebook é maluquice, ou golpe de gênio? [F.Banking via Reuters/G1]