Tesla é tão conhecido pelo que ele NÃO conseguiu fazer quanto pelo que ele fez e os seus admiradores estão se esforçando ao máximo para salvar o local do seu fracasso mais exótico e insano.

Após seu trabalho com a corrente alternada tê-lo feito um rico, famoso e respeitado inventor elétrico, Tesla não teve nenhum problema em adquirir fundos (aproximadamente 3 milhões de dólares na moeda atual) para o que ele enxergava como a próxima grande descoberta: transmissão sem fio. Tesla construiu uma gigantesca torre em um local que ele chamou de Wardenclyffe, a sul de Nova York, para fazer experimentos com o princípio do que mais tarde viriam a ser ondas de rádio.

Mas quando ele foi pwnado pelo italiano Marconi (grAAAAnde Marconi!), ele decidiu que ele na verdade iria transmitir energia sem fio, não apenas informações, para aqueles que não tinham como pagar por ela. Seus investidores, não vendo nenhum caminho para se obter lucro, o abandonaram e, como hoje sabemos, sua torre absolutamente não foi capaz de realizar tal façanha.

Wardenclyffe é um labirinto bem no estilo Tesla: gigantescas baterias sem documentação, boatos de extensos túneis secretos ao redor do local e experimentos acabados pela metade são tudo parte do seu atual charme dilapidado. O local deixou de receber manutenção de uns anos pra cá e atualmente está recoberto de lixo de malditos adolescentes e suas malditas latinhas de cerveja. Mas agora, com a possibilidade da propriedade ser vendida como um simples imóvel, fanáticos pelo Tesla estão em pé de guerra.

Os admiradores de Tesla enfatizam que este imóvel de 64 mil metros quadrados era a sua oficina mais importante de todas e que qualquer outro destino que não um museu seria um insulto à memória do ambicioso gênio. A empresa que atualmente detém o imóvel está aberta a tal mudança, mas não está em condições de simplesmente doar o local. Ele de fato parece ser fascinante e nós realmente esperamos que alguém vá lá e dê uma nova vida a ele em forma de museu como ele merece. [New York Times, imagem cortesia do New York Times]