O ministro britânico de Ciência, Lorde Drayson, anunciou na quinta-feira passada o início do projeto do carro foguete Bloodhound, que levará o atual detentor do recorde de velocidade no solo e piloto da força aérea real, Andy Green, a velocidades superiores a 1600 km/h. Este é mais um passo na disputa esporadicamente intensa pelo carro mais rápido do mundo, mas o ministro pelo menos tem uma desculpinha meio hilária, meio razoável: ela vai fazer com que estudantes britânicos se interessem por aulas de ciência avançada. Ninguém liga mesmo pra estas coisas, afinal, bem, são 1600 km/h.

A primeira parte do trajeto será movido por uma turbina a jato, originalmente projetada para o Eurofighter. Quando o Bloodhound atingir 480 km/h, a tarefa da propulsão será assumida por um foguete híbrido experimental “sob medida”, durante a qual o piloto estará sujeito a uma força de aceleração de 2,5Gs até chegar a 1680 km/h. Todo o processo levará aproximadamente 40 segundos, por mais impressionante que isto possa parecer.

Naturalmente, possíveis cegueiras temporárias, colisões desastrosas e falhas mecânicas são sempre as situações esperadas. Mas não se preocupe – de acordo com o Times, ele está se preparando da maneira mais risível possível: “ele vai praticar…. em uma aeronave de manobras, voando de cabeça pra baixo sobre as zonas rurais da Inglaterra”. Nenhuma data foi programada ainda para a corrida, mas em breve teremos mais notícias sobre o assunto. [Times Online]