A China está em uma onda de construções enormes e nada vai pará-la – nem mesmo uma montanha. É isso mesmo: montanhas inteiras estão sendo demolidas para preencher vales, abrindo caminho para as cidades do futuro. O problema é que ninguém sabem exatamente o que está fazendo. “Mover terra nessa escala sem apoio científico é loucura”, alertam três professores chineses de engenharia à Nature.

Como a China planeja fazer com que 100 milhões de habitantes de zonas rurais se mudem para cidades, a construção rápida se tornou quase uma exigência. É fácil ver prédios que acabaram de ficar prontos simplesmente desmoronarem. Esses projetos de mover montanhas são igualmente apressados, mas estão sendo realizados em uma escala ainda maior por engenheiros com pouca experiência em achatar montanhas. E se, por exemplo, uma cidade construída em um solo instável cair durante uma chuva?

Essa é uma preocupação real em Yan’an, uma das muitas cidades que estão sendo construídas no lugar de montanhas. Vales foram preenchidos com silte – um solo leve que pode facilmente entrar em colapso com chuvas. Dezenas de topos de montanhas em toda a China estão sendo demolidos com pouca atenção para questões ambientais como poluição do ar, erosão do solo ou perda de água subterrânea. Há tanto dinheiro a se ganhar – para algumas pessoas – que os riscos não estão sendo devidamente estudados, questionam os professores na Nature.

A situação toda lembra uma fábula chinesa em que um velho desafia todas as expectativas ao cavar lentamente duas montanhas na frente da sua casa. É uma história de perseverança, acredito. (Meus parentes são imigrantes chineses, e me contaram diversas vezes a história quando eu era uma criança). Mas quando a fábula se torna realidade, é bom dar uma conferida no que a ciência tem a dizer. [Nature]

Imagem de topo: O horizonte de Chongqing, uma das cidades onde as montanhas foram removidas para a expansão urbana. faunng/flickr