Relaxem, todo mundo. Dois sóis foram avistados no céu da China esta semana. Dizem que um segundo Sol seria um sinal do fim dos tempos, mas calma! Nosso sistema solar não gerou mais outro Sol, nem estamos em Tatooine.

Foi uma miragem.

Mais especificamente, foi um exemplo de refração ótica. O efeito é causado por mudanças na atmosfera da Terra, quando partículas causam refração na luz – ou seja, quando desviam a luz de seu caminho original. Miragens geralmente acontecem alinhadas acima ou abaixo da fonte original de luz. No caso, o segundo Sol não apareceu nem acima nem abaixo do Sol original, como era de se esperar: ele apareceu ao lado.

Isso não é impossível, no entanto: se uma parte da atmosfera à frente do Sol estiver muito densa, a luz pode ser desviada de forma que o segundo Sol aparecesse ao lado. E, apesar de ser incrivelmente raro, o efeito já foi fotografado e analisado antes.

Em 1993, por exemplo, o astrônomo belga Marcel Minnaert catalogou visões duplas tanto do Sol como da Lua. As imagens dele são quase idênticas ao que vimos na China esta semana.

Tinha gente que achava até que a estrela Betelgeuse havia virado uma supernova e criado um segundo Sol solto no espaço. Isso não aconteceu. Foi só uma miragem, provavelmente criada pela fumaça e névoa das fábricas, que se multiplicam rapidamente na China dia após dia. [MSNBC]