A Herpetologists’ League (“Liga de Herpetólogos”) rescindiu seu prêmio Distinguished Herpetologist (ou “Herpetólogo Notável”) depois de seu vencedor, Dick Vogt, mostrar “fotos picantes” durante seu discurso de aceitação.

O jornal Rochester Democrat and Chronicle noticia:

De acordo com vários participantes, Vogt, pesquisador de longa data de tartarugas brasileiras, mostrou várias fotos de “estudantes mulheres com roupas curtas” fazendo pesquisa de campo. As fotos foram picantes o bastante para que os organizadores da conferência acrescentassem caixas azuis para cobrir partes dos corpos das mulheres.

Henry Mushinsky, presidente do comitê da Joint Meeting of Ichthyologists and Herpetologists (“Reunião Conjunta de Ictiologistas e Herpetologistas”, em tradução livre), disse ao Democrat and Chronicle que a conferência não tinha um código de conduta. Ele disse que os estudantes fazendo trabalho de campo perto da água frequentemente usam trajes de banho, mas que essas fotos “não eram apenas fotos documentais típicas”, escreveu o jornal. Vários participantes tuitaram dizendo que haviam deixado a conferência. A liga de herpetólogos ofereceu um comunicado aos participantes da conferência, condenando o comportamento de Vogt.

New York Times noticia que os slides polêmicos eram condizentes com a reputação de Vogt. A decisão do presidente da Liga de Herpetólogos de honrar o cientista veio apesar de avisos contra a escolha por parte da direção da organização, segundo o NYT.

Estamos em 2018, e, se você está vivo e lê ou assiste às notícias, fica bem claro que Vogt e aqueles que revisaram os slides deveriam saber no que isso iria dar. Se você recebe um prêmio, não deveria envergonhar quem o entrega durante o discurso, deixando a plateia desconfortável. E se você é um organizador de prêmio revisando slides, deveria saber o que vai irritar o público — e saber também se seu condecorado tem um suposto histórico de comportamentos como esse.

Os tuítes da conferência ilustram mais as reações dos cientistas ao discurso de Vogt. Alguns deles adivinhavam de quem se tratava só de ler a descrição, enquanto um usuário relembrou um causo: “Vogt estava conversando com dois colegas em uma conferência de herpetólogos na Pensilvânia anos atrás. Uma estudante latina o abordou e disse o quão empolgante era conhecer biólogos tão famosos. Vogt a examinou e perguntou: você já transou com um herpetólogo?”

Como muitas indústrias neste momento, a ciência está no meio do processo de reconhecer seus problemas de má conduta sexual. Ciências cognitivas, arqueologia, astronomia e outros campos foram balançados por revelações de abuso e assédio sexuais por parte de acadêmicos experientes. E, de acordo com a Comissão de Oportunidades Iguais de Emprego dos EUA, fotos e piadas ofensivas definitivamente se encaixam na categoria de “assédio“.

Agora, as quatro sociedades científicas que organizam a conferência estão trabalhando em um código de conduta para o evento, noticia o Democrat and Chronicle.

Portanto, cientistas, jornalistas e literalmente qualquer um que esteja planejando apresentar algo diante de uma plateia: se trouxer seminudez enquanto o público espera tartarugas, não fique surpreso se as pessoas reagirem negativamente. Já para os organizadores de conferências: se vocês não quiserem esse tipo de polêmica, ouçam as pessoas que lhes dizem que vocês estão prestes a honrar alguém que vai criar esse tipo de problema.

Atualização – 18/07 – às 10h: Dick Vogt entrou em contato com o Gizmodo, apresentando uma retratação.

“Meus estudantes escolheram essas fotos, no sentido de que essas fotos são como somos no campo, na Amazônia, não tem nada de sexual ou indecente nas fotos, não fiz nenhuma piada ou comentários indecentes sobre qualquer foto…”

“… Eu não entendo por que quatro de 153 fotos estão causando tamanha agitação. Não escolhi as fotos, minhas estudantes mulheres escolheram as fotos e me ajudaram a preparar a apresentação, a última foto cuja parte eles (organização) bloquearam era de uma de minhas estudantes atuais, que estava em um grupo de cerca de 26 pessoas na foto de grupo do meu curso de tartarugas, em que havia outras mulheres, além de homens sem camisa e com trajes de mergulho, incluindo eu…”

“… Estou muito triste que isso tenha acontecido. Faço parte dessa comunidade há 54 anos, e Henry Mushinsky aparentemente tem algum tipo de vendeta contra mim. Ele não tinha o direito de entrar na minha apresentação e tentar me destruir, se ele achou que tinha o direito de censurar meus slides, por que ele não simplesmente os deletou? Isso piorou as coisas, sugerindo às pessoas que havia algo errado com o material nos slides.”

[via Democrat and Chronicle, NYT]

Imagem do topo: Whaldener Endo (Wikimedia Commons)