Uma equipe de pesquisadores promete que pode aumentar a banda de conexões sem fio drasticamente sem que nenhum hardware atual seja trocado. Tudo o que é preciso, dizem eles, é um pouquinho de matemática.

O Technology Review diz que os cientistas estão desenvolvendo técnicas algébricas para eliminar a tarefa de reenviar pacotes de dados perdidos — algo que realmente congestiona as redes. Criar uma maneira para que os dispositivos resolvam o problema de dados perdidos elimina o esforço de reenviar dados — mas também significa que eles poderão receber fluxos de dados de Wi-Fi e LTE (4G) juntos, em vez de terem que optar por um ou outro.



Aparentemente, várias empresas já licenciaram a tecnologia desenvolvida por pesquisadores do MIT, Universidade do Porto (Portugal), de Harvard, Caltech e da Universidade Técnica de Munique. O Technology Review explica melhor como isso funciona:

“A tecnologia transforma a maneira com que os pacotes de dados são enviados. Em vez de enviar pacotes, ela envia equações algébricas que descrevem uma série de pacotes. Então se um pacote é perdido, em vez de requisitar à rede para que o reenvie, o dispositivo receptor pode resolver o perdido sozinho. Como as equações envolvidas são simples e lineares, o aumento no processamento em um smartphone, roteador ou estação base é desprezível…

Estudos em laboratório mais rigorosos têm mostrado grandes benefícios. Testando o sistema na rede Wi-Fi do MIT, onde 2% dos pacotes são normalmente perdidos, o grupo de Medard notou que uma conexão normal de 1 Mb/s chegou a 16 Mb/s. Em uma situação onde as perdas chegam a 5% (comum em um trem em movimento, por exemplo), o método melhorou a conexão de 0,5 Mb/s para 13,5 Mb/s.”

Isso é que é melhora, então não é surpresa que já exista muita gente interessada. Claro, se esses ganhos vistos em laboratórios se materializarão no mundo real, ainda não se sabe, mas a magnitude das melhorias sugere que algum ganho prático essa tecnologia traria. Dentre as soluções já debatidas para uma eventual crise nas telecomunicações, essa é sem dúvida uma das mais promissoras. [Technology Review]