As câmeras digitais fazem mais coisas do que nunca – detectam sorrisos, localizam pessoas específicas, filmam vídeos em alta definição – mas enquanto algumas estão adicionando seletores e botões para controlar o porrilhão de recursos extras, outras estão descartando seletores físicos (botões, rodas e alavancas) como carcaças mortas e obsoletas.

Aqui está uma amostra das interfaces com o usuário (IU) de câmeras compactas de todos os grandes fabricantes de câmeras digitais: Canon, Nikon, Sony, Panasonic, Casio, Olympus e Fujifilm. As interfaces com o usuário são mais importantes do que nunca nestas câmeras porque elas estão se tornando cada vez mais a principal maneira de explorar diretórios para mudar configurações ou trocar de modo, ao invés de girar manualmente o seletor, como em uma câmera pró/DSLR. Algumas são muito boas (Canon, Samsung), enquanto algumas são muito ruins (Casio).

As melhores costumam utilizar lista ou grid, onde tudo é claramente definido e fácil de acessar, e a tendência é que mais IUs adotem o modelo de lista de diretórios – quando você destaca algum item, os parâmetros dele aparecem abaixo. As fontes são grosseiras em algumas, mas claramente definidas em outras. Este é um verdadeiro vai ou racha, já que visualizar rapidamente é fundamental quando muda de um botão da IU, ou um visual que um só se baseia em ícones.

 

IU da Canon

 

 

A Canon agora tem dois conjuntos de interfaces com o usuário: aquela antiga com a qual você está acostumado se tiver usado uma Canon ultimamente, e uma totalmente nova que a fabricante está implantando em duas de suas novas câmeras. É ótima, com animações pop out e uma fonte mais moderna, mas acho que é um pouco mais confusa uma vez que não te mostra tudo de uma vez. Ela usa um menu tipo lista para apresentar as configurações. Mas depois que você pega o jeito, é uma IU muito boa.

 

IU da Nikon 

A Nikon tem algumas IUs diferentes, mas o estilo de apresentação do menu não é consistente nem numa mesma câmera. Curiosamente, a sua câmera touchscreen compartilha a IU feia com algumas das suas outras câmeras, com poucos, ou mesmo nenhum ajuste para torná-la mais amigável. A Nikon está na segunda geração de câmeras touch, mas a sua IU meh contrasta com a outra bastante competente das suas câmeras DSLRs.

 

IU da Sony

 

 

A Sony, também usa a mesma IU nas suas câmeras touchscreens e nas não-touchscreens. E ela funciona tão bem nestas quanto naquelas. Eu acho que ela é melhor do que a da Nikon, pois usa um tipo de interface gráfica em barra transversal (tipo o Crossmedia bar, dos videogames), coisa que a Sony costuma mandar bem. Talvez botões um pouco maiores cairiam bem. Mas no geral, a Sony tem uma das melhores IUs – e não muito confusa. 

 

IU da Panasonic Lumix

 

 

Muita coisa acontece na parte de trás dessas câmeras, mas a IU touch da Panasonic parece especialmente concebida para os dedos, com grandes e amigáveis opções. (Eu não notei isso em suas outras câmeras, então eu acho que foi só para a FX580 touch, mas posso estar enganado). A IU padrão para câmeras não-touch também não é tão ruim – eu a colocaria no mesmo saco.

 

IU da Olympus

 

 

A Olympus vem com um estilo de ícone único, mas é bastante confusa em termos de tentar chegar às coisas rapidamente ou navegar para frente e pra trás, uma vez que você não sabe o que vem antes ou depois de alguma coisa na hierarquia, conceitualmente falando. Dito isto, ainda parece melhor do que o bagunçado menu nas suas últimas DSLRs.

 

IU da Casio

 

 

A Casio tem a pior IU de todas as câmeras que eu conferi. É confusa, pequena, feia e todos os outros pecados imagináveis.

 

IU da Fujifilm

 

 

Básica, chata, e não é propriamente útil.

 

IU da Samsung

 

 

Eu mencionei anteriormente o quanto eu gostava da IU em lista na TL320 da Samsung. É simples, fácil de navegar e parece muito boa. Quando você destaca algum item, suas sub-configurações aparecem em uma lista pop-up à direita, para que você saiba o que você vai ajustar quando explorar o os sub-menus. A outra IU da Samsung não é tão boa, mas é também bastante simples, se bem que um pouco mais lenta.

 

IUs das Touchscreen

 

 

Aqui estão todas as IUs touch juntas. Você pode achar que a da Panasonic foi a melhor, salvo o fato de ser tremendamente inconsistente sobre quando você pode tocar um item do menu e quando você não pode. Então a Sony ganha por um triz. Estranho, a Sony ganhar uma batalha de IUs, eu sei. A interface touch da Nikon é simplesmente grotesca demais para entrar na briga.

As IUs das câmeras definitivamente podem, e realmente precisam melhorar, porque é claro que o trem dos recursos bombados não vai desacelerar tão cedo. Mas é um equilíbrio delicado: Como é que você simplifica uma interface com o usuário para ter um rápido e fácil acesso às funções enquanto contém a miscelânea de novas funcionalidades enchendo cada geração de câmeras? Você sequer pode tornar uma câmera touch realmente usável? Perguntas difíceis sem respostas fáceis.

 

PMA é uma exposição anual onde podemos ver as câmeras digitais de amanhã – aquelas que vão povoar bolsos e bolsas pelo resto do ano.