Ontem, falamos por aqui sobre o clube de astronomia que recebeu 2.600 óculos de papel – especiais para observar o Sol – de uma entidade americana sem fins lucrativos, mas teria que pagar R$ 2.700 em impostos e multa para a Receita Federal. O prazo acabava ontem, senão os óculos voltariam para os EUA.

Boa notícia: o Clube de Astronomia Louis Cruls, em Campos dos Goytacazes (RJ), conseguiu que o valor da multa fosse desconsiderado, e um bom samaritano vai pagar os impostos.

O físico Marcelo de Souza, diretor-geral do clube de astronomia, conta ao Gizmodo Brasil que inicialmente planejava receber doações – “várias pessoas se ofereceram para nos ajudar” – mas estava relutante em abrir uma campanha pública. “Estamos pensando em conversar com quem já ofereceu ajuda e, quando alcançarmos o valor, não aceitarmos mais doações”, disse Marcelo.

Hoje, eles conseguiram resolver a questão do pagamento da multa, que tinha o valor de R$ 1.352,74. Segundo Marcelo, “o FEDEX me informou que acompanhou o que estava ocorrendo pelas redes sociais e ofereceu um grande apoio”. No Facebook, o clube afirma que “não houve qualquer mudança em relação à decisão da Receita Federal”.

No entanto, ainda faltava pagar R$ 1.355,36 de impostos e tributos. Aí entra a Editora Blucher: ela se comprometeu a cobrir esse valor.

Nota fiscal Fedex

Conversamos por telefone com Eduardo Blücher, que comanda a empresa desde 2002. Ele diz: “um amigo me enviou pelo WhatsApp a tela do Gizmodo dizendo o que tinha acontecido. Em vez de reclamar sobre mais uma coisa que não está funcionando, decidimos fazemos uma diferença”.

A editora é especializada em publicar livros científicos, e Eduardo nota a semelhança na dificuldade em liberar os óculos na alfândega e em atuar na área de ciência:

Publicar ciência no Brasil não é coisa fácil, é uma tarefa hercúlea. Fazemos isso nessa editora há 60 anos. Temos livros de astronomia, física, matemática, livros de hard science difíceis de vender no mercado. Quando soubemos desse caso, deu uma comoção aqui no pessoal.

A ideia de ajudar o clube partiu da equipe que trabalha na editora, ressalta Eduardo. Eles acharam o contato com o professor Marcelo, ele retornou e o resto é história. O Fedex enviará o boleto nesta quarta-feira, e depois que o pagamento for efetuado, a doação será liberada pela alfândega.

Oculos para ver sol
Fotos por International SUNday/Facebook

Os óculos foram um presente do Charlie Bates Solar Astronomy Project, instituição americana sem fins lucrativos, para observar o Sol durante o solstício de inverno, que ocorre em 21 de junho e marca o início do inverno no hemisfério sul.

Stephen Ramsden, diretor do Charlie Bates, publicou um vídeo no Facebook em apoio ao clube Louis Cruls, lembrando que os óculos têm o aviso “NOT FOR RESALE” (venda proibida) e portanto deveriam ser considerados uma doação.

NOT FOR RESALE

Ramsden diz no vídeo que ficou motivou a doar os óculos após o 8º Encontro Internacional de Astronomia e Astronáutica, realizado pelo clube em abril:

O encontro foi fantástico, e eu quis incluir o Brasil em eventos futuros. Em 21 de junho deste ano, teremos uma grande comemoração global chamada International Sun Day, e eu escolhi Marcelo e o Brasil para fazer parte deste projeto. Eu enviei três mil pares de óculos para ver o Sol, para que Marcelo pudesse distribuí-los em seu programa de educação científica sem fins lucrativos.

O Clube de Astronomia Louis Cruls comanda o Projeto Cientista Criativo, que dá aulas de astronomia, eletrônica, robótica e cosmologia para estudantes em Campos dos Goytacazes; e trabalha para encontrar asteroides estudando imagens capturadas por telescópios americanos. Com isso, Campos foi a cidade que mais descobriu asteroides nos últimos nove anos.

Foto por Erlon Márcio Couto Alves/Facebook