Nelma, instrutora de ônibus, tinha um problema no trabalho: o pagamento. Cheque sem fundo e clientes que pagavam em moedinhas (imagine que delícia de contar). Como resolveu o problema? Internet. Transformou um tablet em uma máquina de cartão de crédito.

A democratização do acesso móvel, com smartphones e tablets, não apenas conectou as pessoas de uma forma que só havia sido vista em Os Jetsons. Uma transformação no comportamento está andamento. Este fenômeno foi observado no projeto OnTheGo, iniciativa da empresa de mobile marketing Pontomobi, da agência JWT e do consultor Ricardo Cavalini, integrante do board da F451 Mídia, responsável pelo Gizmodo Brasil.

Durante cinco meses, 350 pessoas foram questionadas a respeito de seus hábitos com a internet móvel. O resultado foram três vídeos, minidocumentários com temas diferentes (veja abaixo): o primeiro propõe sete mandamentos para a boa convivência on-line, entre eles “não mandarás e-mail de trabalho de madrugada e no fim de semana”. Os próprios entrevistados formaram a lista, que trata ainda de “frear o impulso de bombardear o outro” e “controlar ansiedade”.

O segundo vídeo fala sobre a transformação graças aos celulares e conta as histórias de três pessoas que aceleraram o crescimento profissional graças à internet móvel: um chaveiro, um recepcionista e a Nelma, citada no começo do texto. O terceiro trata dos serviços de nuvem: é a Era do Desapego e como está mudando o sentido de propriedade, além de exemplos de quem já vive esta realidade.

“Ainda há uma visão no mercado de que o mobile é uma novidade, mas a verdade é que ele já está na vida das pessoas de várias classes sociais. Não estamos falando apenas de uma ferramenta digital, mas de um canal capaz de atingir todos os públicos”, diz Terence Reis, sócio da Pontomobi.