Em casa ou na rua, muitos de nós passam um tempo considerável ouvindo música na privacidade dos nossos fones de ouvido. Se você tem vontade de ir além dos fones branquinhos que vieram com o seu iPod e investir em um bom par de headphones bacanas, veja aqui como fazer esta escolha.

Nota: este guia foi escrito para pessoas que não são necessariamente experts no assunto. Há muitas pessoas apaixonadas por som e por fones de ouvido, e, para elas, este guia provavelmente será bem básico. Se for o seu caso, é porque você provavelmente nem precisa de um guia. Mesmo assim, comente lá embaixo com o seu modelo favorito ou alguma dica adicional!

Formatos

Existem tipos diferentes de fones de ouvido, que se encaixam aos seus ouvidos de modos diferentes e também soam diferente. A primeira coisa que você deve decidir sobre o seu novo par de fones de ouvido é justamente o seu formato. Essa decisão será tomada com base em onde você pretende usá-lo mais, e também em qual o seu tipo de música favorito.

Earbuds (e Intra-Auriculares)

Os fones do tipo earbud são pequenas peças que vão dentro do seu ouvido. Você provavelmente já tem experiência com este tipo, já que ele é o que frequentemente acompanha os mp3 players (como o iPod). Os earbuds geralmente repousam na parte externa do ouvido, mas também há os modelos “in-ear” (intra-auriculares), que adentram o canal auditivo (alguns bastante profundamente, inclusive).

Prós: Os earbuds são super portáteis, o que conta muito se você está sempre usando-os na rua. Os intra-auriculares também oferecem bom isolamento de ruídos externos, o que é importante em aviões, ônibus, ou qualquer local barulhento. Eles também são mais confortáveis do que os outros formatos se você usa óculos ou tem orelhas salientes.

Contras: É possível conseguir um modelo decente de earbuds com qualidade de som muito boa, mas ainda assim você provavelmente não terá a mesma qualidade sonora que conseguiria com um fone de ouvido que cobre as orelhas. Algumas pessoas também os acham menos confortáveis, especialmente os modelos in-ear, porque têm problemas com a ideia de enfiar coisas nos ouvidos. Conforto é algo muito pessoal no que diz respeito a fones de ouvido. Alguns dos earbuds também têm facilidade para cair dos seus ouvidos – estes não são indicados para quem ouve música enquanto pratica exercícios.

Headphones estilo Ear Pad

Os headphones (fones de cabeça) eram bem mais populares antes da popularização do iPod, mas ainda têm muitas qualidades que os tornam dignos de consideração. Eles são usualmente pás (daí o nome earPAD) que cobrem os ouvidos, mas não a orelha inteira. Eles são geralmente modelos “abertos” de earbuds, com vazamento de som em ambas as direções – você pode ouvir sons externos, assim como a sua música também pode ser parcialmente ouvida por quem estiver próximo. Também há alguns modelos fechados.

Prós: De modo geral, os headphones são o formato mais confortável de fones, já que eles simplesmente ficam encostados na sua orelha. Eles não as esquentam ou apertam, o que é bom. A sua construção oferece boa qualidade de som, e eles são especialmente recomendados para quem se exercita na rua, já que te mantém consciente dos seus arredores. Também costumam ser razoavelmente portáteis.

Contras: Já que a maioria desses headphones é aberta e não te protege contra ruídos externos, eles não são bons para usar em situações de muito barulho. Mas você também não vai querer usá-los em locais muito silenciosos, como uma biblioteca, já que outras pessoas próximas poderão ouvir as suas músicas – as chances de você encontrar uma Zoey Deschanel enquanto ouve The Smiths, infelizmente, é baixa demais para correr este risco. Apesar de muita gente preferir este modelo graças à qualidade de som superior, isso não se aplica aos graves, que geralmente são bem melhores nos modelos fechados.

Headphones “Full Size”

Os headphones “full size” vêm com bordas que cercam as suas orelhas completamente. Eles tendem a ser bem grandes, por isso são mais indicados para uso em casa. Quase sempre são fechados.

Prós: Os headphones fechados têm ótimos graves, clareza de som e isolamento de sons externos. Também costumam vir com bastante estofamento, o que os torna mais confortáveis para a maioria das cabeças.

Contras: Já que os headphones fechados são geralmente bem grandes, perdem pontos em portabilidade. Quem tem a cabeça maior também pode considerá-los um pouco desconfortáveis. Outra coisa chata: eles tendem a deixar as orelhas quentes demais.

Recursos a considerar

Além do formato geral, há alguns outros recursos que você deve considerar quando estiver escolhendo seu próximo fone. Geralmente essas decisões são tomadas analisando as situações de uso que você fará dele.

Cancelamento de ruído

Fones de ouvido com cancelamento de ruído (“noise cancelling”) analisam os sons ao seu redor e tocam uma “versão invertida” daquele som, o que essencialmente o cancela. Eles costumam ser muito efetivos em cancelar qualquer ruído ao seu redor, mas o lado ruim é que são bem mais caros por causa disso. Outra coisa a ter em mente é que eles exigem alimentação própria, geralmente através de pilhas ou baterias. Se for pegar um desses, obviamente prefira os modelos fechados.

Isolamento de ruído

Geralmente confundido com o cancelamento de ruído, o recurso de isolamento de ruído (“noise isolation”) funciona colocando uma barreira física no fone de ouvido fechado, para melhorar ainda mais a sua capacidade de manter a música dentro e os sons externos fora. Eles não são necessariamente tão efetivos quando os com cancelamento, mas são consideravelmente mais baratos e não precisam de energia extra.

Wireless

Fones de ouvido wireless são bem autoexplicativos: eles não têm fios. A maioria dos fones wireless atualmente são bluetooth, e geralmente permitem não apenas que você ouça a música, mas também que a controle pelo fone mesmo, com funções de pause, play, next etc. O problema desse tipo de fone é que você constantemente precisa recarregar as suas baterias ou trocar as suas pilhas, e a qualidade do som raramente é comparável à encontrada em fones com fio. Se você tem outros aparelhos sem fio em casa, como mouse ou telefone, eles também podem sofrer interferência. Eles vêm em versões caseiras, com uma base maior, ou portáteis, com bases USB do tamanho de pen drives. Há hora e lugar para esse tipo de fone, como quando você está se exercitando e não quer esbarrar nos próprios fios.

Como testar fones de ouvido

Todas estas coisas citadas são importantes de saber, mas são teoria. Na prática, você não deve comprar um fone sem testar o modelo antes. Só assim você pode ter certeza que eles servem bem em você, que eles isolam ou cancelam os ruídos tão bem quanto prometem, entre outras coisas. Veja aqui algumas dicas.

Leia reviews online

Acabamos de dizer que a teoria não é tudo, sim, mas os reviews continuam sendo uma ótima maneira de eliminar alguns modelos, ou saber quais são os problemas ou qualidades a observar em algum modelo específico quando você puder testá-lo. Para reviews profissionais, eu geralmente consulto sites como CNET, Macworld e Head-Fi, enquanto a Amazon e o Newegg são ótimos para opiniões de usuários.

Onde comprar

A melhor alternativa é encontrar alguma loja local especializada em áudio, que te permita experimentar vários modelos diferentes. Infelizmente, está cada dia mais difícil encontrar lojas assim. Uma boa forma de encontrá-las é no próprio site da fabricante do modelo que você quer – geralmente há uma seção com endereços de pontos de venda.

Se você não encontrar nenhuma, pode comprar online, mas tente comprar de algum site que tenha uma boa política de devolução, já que você pode querer trocar por outro modelo.

Durabilidade e garantia

O motivo de querermos comprar um novo fone de ouvido é geralmente o fato do nosso antigo ter estragado ou sido destruído de alguma forma. (NT.: Uma lembrança especial à minha gata Zelda, que já mastigou três fones de ouvido, sendo que um nem era meu.) Quando você for à loja, observe a aparente durabilidade do seu fone escolhido. Se ele parecer porcaria, provavelmente é porcaria e não vai durar tanto quanto você espera.

Mais do que isso, consulte a garantia. Muitos fones vêm com garantias de um ano ou dois, o que é ótimo se os seus costumam quebrar. Pode não influenciar a sua decisão de compra, mas é algo bom de se ter em mente – eu já joguei fora um fone de US$ 100 menos de um ano depois da compra por não saber que a Bose oferece um bom serviço de garantia para eles. Não cometa o mesmo erro!

Conforto

Quando você testar um fone de ouvido, tente fazer isso por um bom tempo – 15 minutos ou mais, se possível –, porque a sua opinião sobre eles nos cinco primeiros minutos é geralmente diferente do que você vai achar depois deles. Muitos modelos parecem ótimos quando você coloca, mas machucam as suas orelhas depois de um tempo (NT.: meu Microsoft LifeChat LX-3000 é bom, mas é assim). Você obviamente não vai poder sentar no chão da loja por duas horas para testar, mas alguns minutos já podem te dar uma boa noção.

E o mais importante: o som

Finalmente, preste atenção na característica mais importante: como é o som. O Lifehacker já publicou algumas dicas sobre isso, mas não custa repetir.

Primeiro, coloque alguns dos sons de teste da Eminent no seu player antes de sair às compras. Eles tocam certas frequências que devem bater com as suas descrições (por exemplo: “Pink noise” deve soar como chuva caindo em um telhado). Se eles não soarem como as descrições dizem que eles devem soar, pense mil vezes antes de comprar aquele fone.

Segundo: teste com músicas antigas. Mesmo que você não curta a música dos anos 70, ouça alguma coisa dessa época na loja, já que é geralmente um melhor indicador do alcance de som de som do fone. (NT.: Ah, então é pra isso que serve Pink Floyd!) Muitas das músicas modernas são comprimidas até o talo. Música clássica é ainda melhor, já que tem tantos instrumentos diferentes, e por isso demonstra claramente o alcance sonoro do modelo testado.

Por último, claro, teste com o tipo de música que você gosta de ouvir. Se você é um techno junkie, veja se a batida condiz com o seu padrão. Se você gosta de um som mais acústico, confira se o violão faz um som gostoso e cheio, que condiga com o modo como você acha que um violão deve soar. No caso do rock, veja se a guitarra distorcida chega rasgando ao mesmo tempo em que o grave continua encorpado.

Tenha em mente também que um fone de ouvido geralmente leva 50~100 horas de uso para “ficar macio” e demonstrar o som real de que ele é capaz, então pergunte a algum funcionário quanto tempo faz que a unidade que você está testando está em demonstração na loja.

__________

Observado tudo isso, você estará bem melhor qualificado para decidir com propriedade quais fones de ouvido servem para você a longo prazo, e quais não te satisfazem.

Agora você já pode começar a procurar o seu fone perfeito. Mesmo assim, logo teremos um post-continuação deste, com diversos modelos de todos os tipos, escolhidos à mão por um especialista no assunto.